PUBLICIDADE
Topo

Terremotos e tsunami deixam centenas de mortos na Indonésia

Do UOL, em Brasília*

29/09/2018 12h25Atualizada em 29/09/2018 23h09

As autoridades da Indonésia informaram neste sábado (29) que subiu para 420 o número de mortos após a ilha de Sulawesi (Celebes) ser atingida por dois terremotos e um tsunami na sexta-feira (28).

De acordo com o Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS), o maior dos tremores atingiu 7,5 graus de magnitude e foi mais forte que a série de tremores que deixaram mais de 500 mortos e 1.500 feridos este ano na ilha indonésia de Lombok, na região de Bali.

Esse terremoto foi precedido por outro de 6,1 graus de magnitude, que causou a morte de uma pessoa e deixou dez feridos, além de provocar o desmoronamento de várias casas.

Leia também:

O porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Desastres (BNPB, sigla em indonésio), Sutopo Purwo Nugroho, afirmou que, segundo os dados provisórios, outras 540 pessoas ficaram feridas e 29 estão desaparecidas.

O número de mortos se refere apenas à região de Palu, a capital da província de Celebes Central e local mais afetado. Como a região está praticamente incomunicável, ainda não há informações sobre vítimas na área de Donggala. O terremoto afetou principalmente Palu e a região próxima de Donggala.

"Em Palu, edifícios e casas foram destruídos, assim como hotéis e hospitais", disse o porta-voz.

A cidade ficou parcialmente sem energia elétrica. O aeroporto de Palu e várias estradas foram fechados. O epicentro foi situado 78 quilômetros ao norte de Palu e o tremor foi sentido até o sul, onde está Macasar, capital da ilha. A terra também tremeu na vizinha Kalimantan e em Samarinda, do outro lado do estreito de Macasar.

As imagens de Palu mostram vários corpos nas praias, alguns deles cobertos com lonas azuis. Os carros destruídos espalhados pela região mostram a violência com que a onda, de 1,5 metros de altura, atingiu a localidade.

Os socorristas tentavam chegar às zonas afastadas, enquanto a população enfrentava os imperativos básicos da sobrevivência: encontrar alimentos e abrigos.

Os hospitais da região estão tendo dificuldade para atender o grande número de feridos. Muitas pessoas receberam atendimento na rua e os moradores transportaram de modo improvisado os cadáveres.

Segundo o porta-voz da agência indonésia, neste momento a prioridade é restabelecer os serviços de energia elétrica e telecomunicação.

A Indonésia, um arquipélago de 17 mil ilhas, fica no Anel de Fogo do Pacífico e é um dos países do mundo mais propensos a sofrer desastres naturais.

Em 26 de dezembro de 2004, a Indonésia sofreu uma série de terremotos devastadores, um deles de magnitude 9,1, na ilha de Sumatra. Este tremor motivou um grande tsunami que provocou a morte de 220 mil pessoas na região, 168 mil delas na Indonésia.

*Com Reuters, EFE e AFP.