PUBLICIDADE
Topo

Chegam a 12 os pacotes explosivos enviados a oponentes de Trump; EUA falam em terrorismo

Pacote enviado à CNN nesta quarta-feira - Reprodução
Pacote enviado à CNN nesta quarta-feira Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo*

24/10/2018 14h17Atualizada em 26/10/2018 10h58

Pelo menos doze pacotes com material explosivo foram encontrados desde a última segunda-feira (22) nos Estados Unidos, segundo as autoridades norte-americanas. Todos são membros ou apoiadores do Partido Democrata, de oposição ao presidente dos EUA, Donald Trump - do Partido Republicano.

Veja também:

Segunda-feira (22):

1. George Soros, doador de campanha dos democratas, no estado de Nova York

Terça-feira (23):

2. Casa de Bill Clinton (ex-presidente dos EUA, democrata) e Hillary Clinton (adversária de Trump nas eleições de 2016), no estado de Nova York

Casa de Hillary Clinton - Mike Segar/Reuters - Mike Segar/Reuters
Carro sai da casa de Bill e Hillary Clinton; local era alvo de pacote-bomba
Imagem: Mike Segar/Reuters

Quarta-feira (24):

3. Escritório do ex-presidente Barack Obama (democrata) em Washington DC

Residência de Barack Obama - Alex Brandon/AP - Alex Brandon/AP
Área próxima à residência de Barack Obama, alvo de pacote-bomba, é isolada
Imagem: Alex Brandon/AP

4. John Brennan, ex-diretor da CIA e crítico de Trump. O pacote foi enviado à CNN - ele é colaborador da TV

5. Eric Holder, Procurador-Geral da era Obama, era o destinatário de um envelope com explosivos postado com endereço errado. No endereço de 'devolução em caso de impossibilidade de entrega', estava o endereço do escritório da deputada democrata Debbie Wasserman Schultz - onde o pacote foi interceptado.

6 e 7. Maxine Waters, deputada democrata, receberia dois pacotes, um que foi identificado no centro de triagem da correspondência do Congresso, em Capitol Heights, Maryland; e outro em Los Angeles, na Califórnia.

Quinta-feira (25):

8. Robert de Niroator crítico de Trump teria recebido o pacote na manhã desta quinta-feira em seu restaurante em Nova York.

9 e 10. Joe Bidenex-presidente, teve dois pacotes interceptados pela polícia em um posto dos correios em Delaware.

Sexta-feira (26)

11. Cory Booker, senador americano democrata, Cory Booker, teve um pacote interceptado na Flórida

12. James Clapper, ex-diretor da inteligência Nacional, teve um pacote enviado a Nova York

Em entrevista na tarde desta quarta-feira (24), as autoridades falaram em "terrorismo". "Não ficaríamos surpresos se mais pacotes aparecessem", disse Andrew Cuomo, governador de Nova York que chegou a receber um pacote suspeito, mas que foi descartado como bomba.

O pacote enviado à rede de TV CNN estava ativo e continha um pó branco que será objeto de investigação.

Os pacotes não chegaram às mãos de Obama, nem dos Clinton, uma vez que foram interceptados pelos serviços de inteligência antes. Não há registros de explosões, nem de feridos.

CNN interrompe transmissão ao vivo após alerta de bomba

UOL Notícias

Por sua condição de ex-presidentes, toda a correspondência destinada às residências de Obama e Clinton é inspecionada por agentes do Serviço Secreto, que negou que tenha sido encontrada uma bomba endereçada à Casa Branca, sede do governo, como alguns veículos de imprensa local informaram mais cedo. 

Na quarta-feira, o presidente Donald Trump se pronunciou sobre os casos, pedindo união entre os rivais políticos e condenando o envio dos pacotes. Na manhã desta quinta-feira ele responsabilizou a mídia por uma retórica de ódio.

“Uma parte muito grande da raiva que vemos hoje na nossa sociedade é causada pelas reportagens propositalmente falsas e incorretas da mídia tradicional, às quais eu me refiro como 'fake news’”, escreveu em publicação no Twitter.

Timer Warner evacuado - Kevin Coombs/Reuters - Kevin Coombs/Reuters
Polícia evacua o Time Warner Center, onde fica a redação da CNN, em Nova York, após a localização de pacote suspeito
Imagem: Kevin Coombs/Reuters