PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Autoridades negam que pacote suspeito tenha sido enviado à Casa Branca

24/10/2018 12h56

Washington, 24 out (EFE).- O Serviço Secreto dos Estados Unidos, encarregado da segurança do presidente americano e seus familiares, negou nesta quarta-feira que tenha sido interceptado um pacote suspeito dirigido à Casa Branca, como informou a emissora de televisão "CNN".

"Os relatórios de imprensa sobre um terceiro pacote interceptado que estava dirigido à Casa Branca são incorretos", indicou o Serviço Secreto em sua conta oficial do Twitter.

A agência ressaltou que, por enquanto, só detectou "dois pacotes suspeitos, um em Nova York e outro em (Washington) DC".

Em comunicado anterior, o Serviço Secreto detalhou que esses pacotes foram enviados às residências da ex-candidata presidencial Hillary Clinton e do ex-presidente Barack Obama.

As autoridades interceptaram o pacote dirigido à ex-secretária de Estado na sua casa do condado de Westchester (Nova York) na última hora de terça-feira, enquanto detectaram outro nesta quarta-feira em Washington, enviado à residência dos Obama.

De acordo com o jornal "The New York Times", que cita fontes da polícia, os dispositivos são similares aos que as autoridades encontraram e detonaram na segunda-feira na residência do multimilionário filantropo George Soros, ao norte do estado de Nova York.

O Departamento de Segurança Nacional, ao qual está integrado o Serviço Secreto, afirmou em sua nota que os pacotes foram "identificados imediatamente como artefatos explosivos durante processos rotineiros de revisão dos Correios, e foram manejados apropriadamente".

"Os protegidos não receberam os pacotes nem correram o risco de recebê-los", acrescentou o Serviço Secreto, que cuida também da segurança dos ex-presidentes do país.

Além disso, o edifício Time Warner de Nova York, onde estão os escritórios da "CNN", foi evacuado devido à ameaça de outro possível pacote explosivo.

Internacional