PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Maioria confirmada na posse de Bolsonaro é do Mercosul

Do UOL, em São Paulo

18/12/2018 12h19

Apesar das incertezas em torno do Mercado Comum do Sul (Mercosul) no próximo governo - o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o bloco não será prioridade -, líderes dos países vizinhos foram os primeiros a confirmar presença na posse de Jair Bolsonaro (PSL), em 1º de janeiro de 2019.

Até esta terça-feira (18), chefes de Estado de ao menos seis países sinalizaram que estarão em Brasília para a cerimônia, dos quais, quatro são da região: devem vir os chefes de Estado de Bolívia, Chile, Colômbia e Paraguai.

Mauricio Macri, o presidente da Argentina, não deve vir à posse, segundo a imprensa local, mas o chefe da Casa Rosada anunciou pelo Twitter que se encontrará com Bolsonaro em 16 de janeiro.

De fora da região, os destaques são a presença de Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, e Marcelo Rebelo, de Portugal.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, convidou Bolsonaro à Casa Branca, mas não deve estar na posse. Enviará o secretário de Estado, Mike Pompeo.

Segundo o Itamaraty, todos os chefes de Estado foram convidados. Mas a pedido da equipe de Bolsonaro, o convite foi desfeito para Nicolás Maduro, da Venezuela, e para Miguel Díaz-Canel, de Cuba.

O órgão informou que ainda está compilando o nome de confirmados na posse. Se divulgada à imprensa, a lista será atualizada neste texto.

Internacional