Topo

Vídeo de policiais agredindo mulher que protestava em Moscou gera revolta

Do UOL

12/08/2019 12h51

A agressão de policiais contra uma mulher que se manifestava pedindo eleições livres nas ruas de Moscou, no sábado (10), está causando revolta entre os russos nas redes sociais.

Nas imagens, é possível ver dois policiais armados arrastando uma mulher, Daria Sosnovskaya, para um ônibus da polícia. Sosnovskaya, que tem 26 anos, aparece lutando para se libertar quando um dos homens lhe dá um soco no estômago.

O vídeo foi publicado pela primeira vez por um jornalista, que de forma sarcástica se referiu ao policial agressor como "herói".

REUTERS/Maxim Shemetov
Imagem: REUTERS/Maxim Shemetov

A jovem foi uma das mais de 200 pessoas detidas durante o protesto, considerado ilegal pelo governo do presidente Vladmir Putin.

Em poucas horas, o vídeo das agressões havia sido compartilhado por perfis com milhões de seguidores, como o dos cantores Egor Krid e Sergey Lazarev -- juntos, eles acumulam mais de 14 milhões de seguidores.

Krid, em uma publicação, xingou os policiais e disse ter prestado queixa pedindo que encontrassem e punissem o policial envolvido.

"Que tipo de babaca você precisa ser para bater em um membro do sexo frágil?", questionou ele. "Eu não me importo com o que ela fez. Esse tipo de coisa não deveria acontecer". Lazarev, por sua vez, se referiu ao comportamento do policial como "vergonhoso".

O grupo de monitoramento do White Counter calcula que cerca de 60 mil pessoas participaram do protesto, o maior evento do tipo em oito anos.

As autoridades russas negaram as acusações de que teriam usado a forma de forma indevida durante os protestos, que já acontecem de forma sequencial há mais de um mês. A polícia de Moscou também negou as agressões.

Sosnovskaya disse à "Reuters" que foi detida depois de reclamar com a polícia sobre a prisão de um homem que parecia sofrer de algum tipo de deficiência. Ela apresentou uma queixa sobre a maneira como foi detida.

Nas redes sociais, o advogado de direitos humanos Pavel Chikov ofereceu uma recompensa de 100 mil rublos (cerca de 6 mil reais) para quem pudesse identificar o policial responsável pelo soco, já que no momento da ação ele usava máscara e capacete.

Mais Internacional