PUBLICIDADE
Topo

Singapura, Vietnã e Arábia Saudita confirmam primeiros casos de coronavírus

Uma foto divulgada pelo Hospital Central de Wuhan mostra a equipe médica atendendo o paciente infectado com o coronavírus - Reuters
Uma foto divulgada pelo Hospital Central de Wuhan mostra a equipe médica atendendo o paciente infectado com o coronavírus Imagem: Reuters

Do UOL, em São Paulo

23/01/2020 11h09Atualizada em 23/01/2020 15h14

Singapura, Vietnã e Arábia Saudita confirmaram hoje seus primeiros casos de infecção por coronavíruos, aumentando para oito o número de países, fora a China, afetados pelo vírus.

De acordo com informações do Ministério da Saúde de Singapura, um chinês de 66 anos, natural de Wuhan, desembarcou no país com a família no dia 20 de janeiro após passagem por Wuhan. Ele apresentou sintomas como dor de garganta, febre e tosse.

Após exames que confirmaram a infecção pelo coronavírus, ele também foi diagnosticado com pneumonia. O paciente foi internado em uma sala de isolamento no Hospital Geral de Singapura (SGH) e sua condição é estável.

Além deste caso confirmado, as autoridades do país ainda investigam outro caso suspeito. A paciente, uma chinesa de 53 anos, passou por um teste preliminar cujo resultado foi positivo. Ela foi submetida a um teste confirmatório, também está isolada e sua condição é estável.

Já no Vietnã, o Ministério da Saúde informou que um homem e seu filho, ambos chineses, foram diagnosticados com a infecção. O chinês Li Ding, 66 anos, chegou ao país no dia 13 de janeiro vindo de Wuhan — cidade chinesa onde acredita-se que a propagação do vírus começou — e encontrou com o filho, Li Zichao, de 28 anos. Zichao teria sido infectado após contato com o pai. Ambos estão no hospital Cho Ray, na cidade de Ho Chi Minh.

Na Arábia Saudita, uma enfermeira indiana do Aseer National Hospital foi infectada pelo vírus. Ela foi testada junto a outras 100 enfermeiras em Kerala. O ministro de Assuntos Exteriores da Índia, V Muraleedharan, disse que todas as enfermeiras foram colocadas em quarentena por precaução devido à ameaça do coronavírus.

Hoje, o governo chinês anunciou o isolamento de uma segunda cidade e divulgou uma lista mais detalhada dos mortos pelo coronavírus. Até agora são 571 casos confirmados de pneumonia por nova infecção em 25 províncias, incluindo 95 casos graves e 17 mortes, todos da província de Hubei. Outros 393 casos estão sendo investigados.

Também foram confirmados casos em Taiwan, Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul, com um caso cada, e outros três na Tailândia. Hong Kong e Macau confirmaram o segundo caso em cada localidade.

As suspeitas também chegaram à Europa e Reino Unido. Na França, um caso está sendo investigado e há outras quatro suspeitas sendo avaliadas na Escócia.

OMS alerta para propagação rápida do vírus

David Heymann, presidente de um comitê da OMS que está coletando dados sobre o vírus, afirmou hoje que o coronavírus se propaga mais facilmente de pessoa para pessoa do que se imaginava. "Estamos vendo a disseminação da segunda e terceira geração", declarou ele.

Terceira geração significa que alguém que foi infectado após manipular animais no mercado de Wuhan, na China, espalhou o vírus para outra pessoa, que depois o espalhou para uma terceira pessoa.

Heymann disse que, inicialmente, o vírus parecia se espalhar apenas por um contato muito próximo que normalmente ocorreria em uma família, como abraçar, beijar ou compartilhar utensílios de cozinha. Agora, ele diz que há evidências de que contatos mais distantes podem espalhar o vírus, como se uma pessoa doente espirrar ou tossir perto do rosto de outra.

Por ora, ele disse que não há evidências de que o vírus esteja no ar e possa se espalhar por um ambiente, como acontece com a gripe ou o sarampo.

Internacional