PUBLICIDADE
Topo

Homem é condenado à prisão perpétua nos EUA após matar mulher trans

Christa and Mark Steele-Knudslien em foto de arquivo - Facebook
Christa and Mark Steele-Knudslien em foto de arquivo Imagem: Facebook

Do UOL, em Brasília

25/01/2020 15h32Atualizada em 25/01/2020 16h59

Um homem foi condenado à prisão perpétua nos Estados Unidos após matar a mulher transgênero e ativista LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) Christa Steele-Knudslien, 42 anos, segundo o site BuzzFeed News.

Segundo o portal, ele se declarou culpado na quinta-feira (23) pelo caso, que aconteceu em 4 de janeiro de 2018.

Mark Steele-Knudslien, 49, disse que matou a esposa com ataques de machado e faca após uma discussão quando dormiam em um colchão de ar. Christa teria reclamado que ele estaria se mexendo demais e então ele a atacou.

A autópsia do corpo apontou que Christa morreu de hemorragia devido à facada no torso e a traumas na cabeça. Mark foi a uma delegacia policial no dia seguinte e pediu para ser preso dizendo ter "feito algo muito ruim".

O corpo de Christa foi encontrado pela polícia no porão da casa dos dois em Massachusetts. Eles se casaram em 2017, de acordo com a mídia norte-americana.

Embora tenha sido condenado à prisão perpétua, Mark deverá ser elegível à liberdade condicional daqui a 25 anos.

Christa era uma ativista transgênero em Massachusetts tendo fundado um concurso de miss transgênero e uma marcha a favor dos direitos da comunidade LGBT.

Internacional