PUBLICIDADE
Topo

Mulher precisou se despedir da mãe com coronavírus pelo telefone nos EUA

Michelle Bennett precisou se despedir da mãe por telefone - Reprodução/CNN
Michelle Bennett precisou se despedir da mãe por telefone Imagem: Reprodução/CNN

Do UOL, em São Paulo

31/03/2020 08h12

Uma americana precisou se despedir da mãe, internada com o novo coronavírus, por telefone antes de ela morrer. Michelle Bennett foi informada de que não poderia estar no mesmo ambiente que a mãe, Carolann Christine Gann, de 75 anos, que já dava sinais de que não resistiria à doença.

"Não poder estar lá e segurar a mão da minha mãe, acariciar sua cabeça, dizer-lhe as coisas que eu queria dizer a ela. Foi um sentimento de muita impotência", disse ela à CNN. Carolann já estava inconsciente e, por isso, elas não haviam conseguido se falar.

Comovida com a situação, uma enfermeira do hospital Issaguah, em Washington, onde Carolann estava internada, se encarregou de garantir que Michelle pudesse se despedir da mãe.

A profissional da saúde ligou para Michelle de seu telefone pessoal e disse que a respiração da mãe dela estava mudando e que provavelmente ela não viveria muito mais. Ela então disse que colocaria o telefone perto da idosa para que a filha pudesse dizer que a amava e se despedir. "Ela não ficará sozinha, ficaremos com ela até o fim", disse a enfermeira, segundo o relato de Michelle.

Ela, então, pode se despedir da mãe e dizer que a amava. Cerca de uma hora depois, Carolann morreu. Michelle diz que viu a enfermeira chorando e agradeceu o gesto dela.

"Não consigo imaginar estar na linha de frente disso e ter que ir para casa todos os dias e correr o risco de serem infectados, mas depois ter a compaixão e a empatia de estar ali naquele momento como se fosse a própria mãe. Essa foi uma delas das coisas mais incríveis que já experimentei", disse.

Coronavírus