PUBLICIDADE
Topo

Covid-19: Para recuperar economia, EUA anunciam veto temporário a imigração

Unsplash
Imagem: Unsplash

Do UOL, em São Paulo

22/04/2020 20h10

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou hoje em comunicado oficial o veto temporário à entrada de imigrantes que "apresentem riscos ao mercado de trabalho" do país durante a recuperação econômica posterior à pandemia do novo coronavírus.

Segundo o documento, Trump considerou que, durante os próximos 60 dias, a entrada de estrangeiros como imigrantes "seria prejudicial aos interesses" do país. A medida isenta imigrantes que tenham documentação válida até esta quinta-feira (23), data em que entra em vigor.

Na proclamação, o republicano alegou que "devemos estar atentos ao impacto de trabalhadores estrangeiros no mercado de trabalho dos Estados Unidos, particularmente em um ambiente de alto desemprego doméstico e demanda deprimida por trabalho".

"Declarei que o surto de covid-19 nos Estados Unidos constituía uma emergência nacional, a partir de 1º de março de 2020. Então, o povo americano se uniu a uma política de estratégias de mitigação, incluindo o distanciamento social, para achatar a curva de infecções e reduzir a disseminação do Sars-CoV-2, o vírus que causa a covid-19. Essa necessária mudança de comportamento afetou a economia dos Estados Unidos, com as reivindicações nacionais de desemprego atingindo níveis históricos. Nos dias entre a declaração nacional de emergência e 11 de abril de 2020, mais de 22 milhões de americanos entraram com o pedido de desemprego", alegou.

Na proclamação, Trump defende que os Estados Unidos "enfrentam uma recuperação econômica potencialmente prolongada", na qual a oferta de trabalho pode superar a demanda. Além disso, alega que imigrantes legais "recebem documentos de autorização de emprego no 'mercado aberto', permitindo-lhes elegibilidade imediata para competir por quase qualquer emprego, em qualquer setor da economia".

"Não há como proteger os americanos já desfavorecidos e desempregados da ameaça de competição por empregos escassos de novos residentes permanentes legais, direcionando esses novos residentes para setores econômicos específicos com uma necessidade demonstrada não atendida pela oferta de trabalho existente. As proteções de processamento de vistos de imigrantes existentes são inadequadas para a recuperação do surto de covid-19", defende o texto.

Coronavírus