PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo
OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Coronavírus: Mulher se veste de unicórnio para alegrar vizinhança nos EUA

Mulher se veste de unicórnio para alegrar vizinhança em meio à pandemia na Flórida - Reprodução/Facebook
Mulher se veste de unicórnio para alegrar vizinhança em meio à pandemia na Flórida Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

22/04/2020 11h07

Corey Jurgensen, 40, moradora de Tampa, terceira cidade mais populosa do estado da Flórida, nos Estados Unidos, 'se transformou' em um unicórnio para divertir seus vizinhos em meio à pandemia do novo coronavírus.

"Não há nada melhor do que ser um unicórnio. Todo mundo sorri quando vê um", disse a mulher em entrevista ao Tampa Bay Times, um jornal da região.

Ela contou que foi desafiada por um amigo que viu o vídeo de uma pessoa vestida de unicórnio em uma mercearia. Como ela já tinha a fantasia, que comprou no último Halloween, aceitou.

No dia 21 de março, ela cumpriu a promessa e 'se transformou' no animal - e o que era para ser só um desafio de um dia, acabou se tornando rotina depois de fotos e vídeos de sua performance pelas ruas de Seminole Heights, bairro onde vive, viralizarem na internet.

"Recebi uma enxurrada de capturas de tela de comentários de pessoas dizendo que era incrível, que elas precisavam disso e seus filhos adorariam me ver [fantasiada de unicórnio] se eu fizesse de novo", contou.

Massoterapeuta, Jurgensen não está trabalhando por conta do isolamento imposto pelo governo local devido à pandemia. Ainda ao Tampa Bay Times, ela diz que se fantasia de unicórnio mais pelos adultos do que pelas crianças.

"Os adultos estão estressados e preocupados com a possibilidade de perder o emprego e estão com os filhos em casa. Eles precisam rir", disse.

Segundo dados compilados pela Universidade Johns Hopkins, há 27,8 mil casos oficiais do novo coronavírus na Flórida, além de 867 mortes.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Coronavírus