PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Proibição de viagens da China ajudou a conter coronavírus na Nova Zelândia

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do UOL*, em São Paulo

28/04/2020 09h06

A proibição antecipada de viagens vindas da China e do Irã é o motivo da Nova Zelândia ter conseguido reduzir drasticamente a disseminação do novo coronavírus, segundo a ex-primeira ministra, Helen Clark.

"Não hesito em dizer que a Nova Zelândia, proibindo as viagens da China no início de fevereiro e depois do Irã, e depois em março passando a controles cada vez mais rígidos, com apenas cidadãos da Nova Zelândia chegando, funcionou para nós", afirmou Clark, que comandou o país de 1999 a 2008.

A Nova Zelândia determinou a mudança em um momento em que a Organização Mundial da Saúde não era clara sobre o assunto na época.

Sobre isso, Clark afirmou que a posição da OMS não endossava e nem defendia a proibições de viagens e que isso tinha muito a ver com o "obscuro reino geopolítico no qual ele opera". A ex-primeira ministra destacou que alguns países temem não apoiá-la por medo de não obter a total cooperação dos membros da parceria global.

A Nova Zelândia afirmou que interrompeu a transmissão comunitária da covid-19 e que o coronavírus atualmente foi eliminado. Apesar disso, as autoridades dizem que não significa que não existe a possibilidade de novos casos.

O país começou a adotar medidas restritivas duras bem cedo. No dia 26 de março, praias, parquinhos, empresas e escolas já estavam fechados.

Nesta terça-feira, algumas atividades econômicas começam a funcionar novamente.

*Com informações da CNN norte-americana

Coronavírus