PUBLICIDADE
Topo

Ciclone deve atingir Índia e Bangladesh, que ainda lutam contra a covid-19

18.mai.2020 - Ainda lutando contra o coronavírus, Índia e Bangladesh devem ser atingidos por um ciclone tropical nesta semana - Reprodução/CNN
18.mai.2020 - Ainda lutando contra o coronavírus, Índia e Bangladesh devem ser atingidos por um ciclone tropical nesta semana Imagem: Reprodução/CNN

Do UOL, em São Paulo

18/05/2020 15h06Atualizada em 18/05/2020 15h10

Um ciclone poderoso, formado no Golfo de Bengala, está se movimentando em direção à fronteira entre Índia e Bangladesh, dois países asiáticos que ainda lutam para vencer a pandemia do novo coronavírus.

Amphan, como foi nomeado, tem força equivalente à de um furacão categoria 4, comum no Atlântico, e à de um "supertufão" do Pacífico, segundo meteorologistas da CNN. Por ora, ele se move a 240 quilômetros por hora, mas deve se enfraquecer antes de entrar no continente pelo delta do Rio Ganges, na próxima quarta-feira (20).

Mesmo mais fraco, Amphan pode causar grandes estragos. Isso porque o ciclone deve atingir uma área mais pobre, mais povoada e de infraestrutura mais precária. Dependendo da região do Ganges onde aterrissar, também pode causar ressacas, com ondas de até nove metros.

Os desastres naturais são comuns na região, mas este pode ser o primeiro a atingir os dois países em meio a uma emergência global de saúde. Até o momento, a Índia registra 96.169 casos confirmados de covid-19 e 3.029, enquanto Bangladesh soma 22.268 infectados e 328 mortes, de acordo com balanço da Universidade Johns Hopkins.

Nenhum dos dois países, ainda segundo a CNN, desaceleraram as taxas de infecção. Nas últimas 24 horas, Índia e Bangladesh registraram mais 5 mil e 1.273 casos de covid-19, respectivamente, segundo as autoridades locais.

Lidar com o vírus e o ciclone será muito difícil, especialmente porque as medidas tomadas durante uma tempestade —como a criação de centros para desabrigados, por exemplo— vão de encontro às políticas de distanciamento social, fundamentais para conter o avanço da covid-19.

O estado indiano de Odisha colocou 12 cidades em alerta máximo, enquanto o vizinho Bengala Ocidental —na fronteira com Bangladesh— chamou a atenção de outras seis, incluindo Kolkata, uma das mais populosas da Índia, com 4,4 milhões de habitantes.

Internacional