PUBLICIDADE
Topo

África tem aumento de 30% de casos de coronavírus em apenas uma semana

Pandemia do coronavírus já deixou mais de 3 mil pessoas mortas na África - Siphiwe Sibeko -24.abr.2020 /Reuters
Pandemia do coronavírus já deixou mais de 3 mil pessoas mortas na África Imagem: Siphiwe Sibeko -24.abr.2020 /Reuters

Do UOL, em São Paulo

27/05/2020 13h09

O novo coronavírus, que já castigou diversas partes da Europa e das Américas, vem se disseminando com velocidade na África nos últimos dias.

Em apenas uma semana, houve um aumento de 30% no número de casos confirmados de covid-19 em todo o continente.

Na última quarta-feira (20), a OMS (Organização Mundial da Saúde) informou que haviam 90.943 pessoas contaminadas com o vírus.

Hoje, este número passou para 118.927 infectados, aumento de pouco mais de 30% em apenas sete dias.

Em mortes, também foi possível perceber uma alta expressiva. Nos dados da semana passada, 2.885 pessoas haviam perdido a vida pelo coronavírus.

No último boletim do órgão, publicado nesta manhã, o número de óbitos chegou a 3.574. Houve, portanto, uma alta de quase 25% nesta avaliação.

Cenário por países

Os países com mais casos confirmados do continente africano são a África do Sul (24.264 casos), o Egito (17.967 casos) e a Argélia (8.697 casos).

As três nações também lideram o ranking de mortes por covid-19, mas em outra ordem: Egito (783), Argélia (617) e África do Sul (524). Juntos, eles são responsáveis por mais da metade dos óbitos de todo o continente.

Apenas seis países não registraram mortes pela pandemia até o momento: Uganda (341 casos), Ruanda (339 casos), Eritreia (39 casos), Namíbia (21 casos), Seychelles (11 casos) e Lesoto (2 casos).

Brasil supera continente todo

Apesar de preocupantes, os números na África não chegam, nem de longe, perto aos dos registrados pelo Brasil desde o início da pandemia.

Por aqui, só ontem, foram registradas novas 1.039 mortes por covid-19, totalizando mais de 24 mil óbitos.

O número de casos no Brasil ultrapassou a casa dos 391 mil no último balanço do governo, índice três vezes maior em relação a toda a África.

Coronavírus