PUBLICIDADE
Topo

Vítima de denúncia falsa pede para não ameaçarem mulher que chamou polícia

"Onde está a lógica nisso?", questionou Christian Cooper em entrevista sobre o incidente - Reprodução/CNN
"Onde está a lógica nisso?", questionou Christian Cooper em entrevista sobre o incidente Imagem: Reprodução/CNN

Do UOL, em São Paulo

27/05/2020 17h32

Christian Cooper, o norte-americano negro que foi denunciado à polícia por pedir que uma mulher seguisse a lei, falou na noite de ontem sobre o incidente. Ele reafirmou que a atitude da mulher foi racista, mas repreendeu quem enviou ameaças de morte a ela:

"Acho estranho que as pessoas que ficaram incomodadas com ela tentando fazer com que eu fosse morto pelos policiais sejam as mesmas pessoas que agora estão a ameaçando de morte. Onde está a lógica nisso? Como isso faz qualquer tipo de sentido?", questionou o observador de pássaros, em entrevista à CNN.

A mulher responsável pela denúncia, Amy Cooper, estava passeando com o cachorro em uma área do Central Park onde os cães precisam usar coleiras. Christian se aproximou para pedir que ela obedecesse à regra. Ela, então, ameaçou: "Vou dizer a eles que um homem afro-americano está ameaçando minha vida."

Ele filmou todo o incidente com seu celular, e o vídeo viralizou. Amy foi demitida de seu emprego no dia seguinte, e pediu desculpas: "Eu não sou racista. Não quis machucar aquele homem de forma alguma."

"Eu acho que o pedido de desculpas é sincero", afirmou Cooper. "Não tenho certeza se, no pedido, ela reconhece que apesar de não ser ou se considerar racista, aquele ato em particular definitivamente foi racista."

"E o fato de que aquele foi o seu recurso na hora — claro, foi uma situação estressante e repentina —, talvez tenha sido um momento de julgamento espetacularmente ruim. Mas ela usou isso, e praticou um ato de racismo."

Na segunda-feira (25), a CNN convidou a mulher para participar do programa com Christian Cooper, mas ela não respondeu.

Internacional