PUBLICIDADE
Topo

Quase metade das mortes por covid-19 nos EUA ocorreram em casas de repouso

O alto índice de mortes em asilos se deve à faixa etária dos moradores -- idosos, em sua maioria -- e ao confinamento - iStock
O alto índice de mortes em asilos se deve à faixa etária dos moradores -- idosos, em sua maioria -- e ao confinamento Imagem: iStock

Do UOL, em São Paulo

28/06/2020 16h37Atualizada em 28/06/2020 18h25

Quase metade de todas as mortes em decorrência da covid-19 nos Estados Unidos aconteceram em asilos, casas de repouso ou outros centros de assistência do tipo, segundo relatório divulgado hoje pelo jornal New York Times. Ao menos 54 mil residentes e funcionários de estabelecimentos voltados ao cuidado de idosos morreram desde o início da pandemia no país. Há 282 mil diagnósticos confirmados em cerca de 12 mil estabelecimentos.

Chama a atenção a relação entre o número de óbitos e o de diagnósticos confirmados: enquanto apenas 11% dos casos de diagnóstico positivo de covid-19 surgiram dentro de asilos, 43% das mortes aconteceram nesses ambientes, informa o jornal.

Em 24 estados norte-americanos, o número de residentes e funcionários mortos em decorrência da infecção corresponde à metade ou a mais da metade de todos os óbitos por covid-19.

De acordo com o CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) norte-americano, asilos têm risco elevado para a transmissão da covid-19 por conta da idade média de seus residentes. Soma-se à idade a presença de comorbidades, ou doenças preexistentes, que tornam os pacientes mais suscetíveis às infecções. Além disso, esse tipo de estabelecimento pode facilitar a propagação do novo coronavírus devido à dificuldade de manter o isolamento social.

Errata: o texto foi atualizado
Versão anterior deste texto creditava incorretamente a origem dos dados do levantamento feito por The New York Times. A informação foi corrigida.

Coronavírus