PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Organização denuncia Donald Trump por lavagem de dinheiro em campanha

Presidente Donald Trump teria supostamente destinado recursos para empresas de pessoas conhecidas  - JONATHAN ERNST
Presidente Donald Trump teria supostamente destinado recursos para empresas de pessoas conhecidas Imagem: JONATHAN ERNST

Do UOL, em São Paulo

28/07/2020 19h40

A CLC (Campaign Legal Center) registrou hoje uma queixa na Comissão Federal de Eleições contra a campanha para a reeleição do presidente norte-americano Donald Trump por lavar quase US$ 170 milhões (cerca de R$ 876 milhões) com supostos gastos no processo eleitoral.

A organização, que vigia o processo eleitoral no país, diz que entre os destinatários da lavagem de dinheiro da campanha estão Lara Trump e Kimberly Guilfoyle, esposa do segundo filho e namorada do filho mais velho do presidente norte-americano, respectivamente. Além de empresas privadas de conhecidos de Trump, como a do ex-gerente de campanha de Trump, Brad Parscale.

Em documento enviado à Comissão Federal, a organização pondera que, desde 2018, a campanha de Trump, responsável por conseguir recursos de patrocinadores para a ajudarem na reeleição, realizou pagamentos para a empresa de Parscale.

Entre os serviços para os pagamentos estavam publicidade online e consultorias que foram realizadas por empresas diferentes das que estavam recebendo os recursos da campanha.

"O dinheiro está sendo lavado através de empresas administradas pelos principais funcionários da campanha de Trump", disse Brendan Fischer, advogado do CLC ao Huffpost. "Isso tem o efeito de manter o público no escuro quanto a grande parte dos gastos da campanha de Trump."

Segundo a organização, as ações supostamente realizadas por Trump contrariam as obrigatoriedades de transparência exigidas pelas leis federais estadunidenses que ordena que os cidadãos saibam como os candidatos arrecadam e gastam o dinheiro de suas campanhas.

De acordo com o HuffPost, apesar da queixa e do pedido de investigação à Comissão Federal de Eleições, o processo é ocioso e pode demorar muitos anos. O que, consequentemente, poderia não afetar diretamente a reeleição de Trump este ano.

Internacional