PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Secretário de Defesa dos EUA contradiz Trump e cita 'acidente' em Beirute

Do UOL, em São Paulo

05/08/2020 16h50

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Mark Esper, contradisse hoje o presidente Donald Trump, que ontem afirmou ter ouvido de generais que a explosão em Beirute foi consequência de uma possível "bomba" e que "parecia um ataque".

Segundo Esper, os EUA ainda estão "reunindo informações sobre o que aconteceu" na capital do Líbano, mas que "a maioria acredita que foi um acidente, conforme relatado".

"Estamos em contato com o governo libanês. Estamos nos posicionando para fornecer a eles qualquer assistência que pudermos, ajuda humanitária, suprimentos médicos, entre outros, para ajudar o povo do Líbano", disse.

Ontem, Trump afirmou, sem provas, que a explosão pareceu um "ataque terrível". "Parece isso, com base na explosão", acrescentou o presidente americano.

"Encontrei nossos generais e eles acham que foi isso. Não foi um evento do tipo explosão de fábrica. Parece, segundo eles — e eles sabem melhor do que eu —, que foi um ataque", completou.

O chefe de Segurança Geral do Líbano, Abbas Ibrahim, disse ontem que 2.750 toneladas de nitrato de amônio — usado na produção de explosivos e fertilizantes — estavam no porto de Beirute quando houve a grande explosão.

Um comitê investigativo foi criado pós reunião do Conselho de Alta Defesa, que contou com o primeiro-ministro, Hassan Diab, e o presidente Michel Aoun.

No Twitter, Aoun disse ser "inaceitável" a quantia de nitrato de amônio guardada no depósito desde 2014 sem medidas de segurança. Ele ainda prometeu "punições severas" aos responsáveis.

Explosão em Beirute: o dia seguinte

Internacional