PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Líder da KKK é condenado a prisão por atropelar pessoas em manifestação

Harry Rogers, líder da Ku Klux Klan, também passará por outro julgamento em 14 de setembro para responder outras acusações - Reprodução
Harry Rogers, líder da Ku Klux Klan, também passará por outro julgamento em 14 de setembro para responder outras acusações Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

11/08/2020 13h43

Harry Rogers, 36, líder do grupo de supremacia branca Ku Klux Klan, foi condenado a seis anos de prisão por invadir um protesto pacífico do Black Lives Matter (Vidas Negras Importam, em português) com um caminhão no início de junho, nos Estados Unidos. Nenhuma pessoa morreu na ocasião.

A condenação ocorreu ontem e Rogers responderá, inicialmente, pelas acusações de agressões simples, danos à propriedade e atropelamento. Durante o julgamento, três pessoas — sendo duas dessas, atropeladas na ocasião — foram ouvidas e o vídeo publicado pelo homem em seu Facebook no qual mostra a sua ação foi exibido pela promotoria.

Apesar da primeira condenação, o líder da KKK ainda passará por outro julgamento, em 14 de setembro, para enfrentar outras acusações por atentado à vida de outras três pessoas atingidas pelo caminhão.

Segundo o Buzzfeed News, o juiz do caso aceitou o pedido do advogado de defesa, George Townsend, em não acusar Rogers por crime de ódio porque as três vítimas atingidas mais gravemente são brancas e, desta forma, o magistrado considerou que elas não foram alvos do líder da KKK por sua raça.

O caso ocorreu enquanto havia diversas manifestações do Black Lives Matter pelo país pedindo o fim da violência policial e do genocídio negro, além de pedir justiça por George Floyd, um homem negro que foi morto por um policial branco em Minneapolis, no fim de maio.

Internacional