PUBLICIDADE
Topo

Eleições Americanas

Conteúdo publicado há
6 meses

Biden pede paciência com apuração: 'Não temos dúvidas de que venceremos'

Do UOL, em São Paulo

05/11/2020 18h42Atualizada em 05/11/2020 19h15

Candidato à presidência dos Estados Unidos, o democrata Joe Biden fez um pronunciamento, na tarde de hoje, pedindo aos eleitores que tenham paciência com o processo de apuração da eleição americana e afirmando ter confiança de que será eleito ao fim da contagem de votos.

A senadora Harris [Kamala Harris, vice de Biden] e eu continuamos confiantes com o desenrolar da apuração. Não temos dúvidas de que no final da contagem, Harris e eu seremos declarados os vencedores."
Joe Biden

O democrata lidera a contagem de votos entre os delegados eleitorais por 253 contra 214 do republicano Donald Trump. O processo de apuração iniciou na terça-feira.

Biden abriu o pronunciamento falando sobre os casos de covid-19 no país. Ele declarou ter interrompido o acompanhamento da votação para se informar sobre a situação do país em meio à pandemia. Segundo a Universidade Johns Hopkins, os EUA são o país com a maior quantidade de mortes (234.300) e casos (9.544.315) do novo coronavírus no mundo.

A democracia às vezes é confusa e às vezes demanda da nossa paciência. O processo ainda está em andamento, mas a contagem logo chegará ao fim e saberemos de tudo em breve."
Joe Biden

Assim como na declaração concedida na noite de ontem, Biden reforçou que "só a população escolhe quem será o próximo presidente" e que "cada voto conta".

Como está a contagem?

Os Estados Unidos não têm um órgão oficial que divulga, em tempo real, os resultados das urnas, como o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) no Brasil. Por isso, as agências de notícias e veículos de comunicação como AFP, AP e Fox fazem extrapolações estatísticas e apontam os vencedores por estado. A AFP chegou a considerar definida a apuração do Arizona — e Joe Biden somava mais 11 votos até a manhã desta quinta-feira (5). A contagem de votos continua no estado.

No sistema eleitoral americano, os 538 votos do Colégio Eleitoral — ou 538 "delegados" — determinam quem será o presidente. Esses 538 votos são distribuídos entre os estados, de forma proporcional, considerando a população de cada um deles. Ganha quem alcançar 270 delegados. O candidato que ganhar a eleição popular dentro do estado leva todos os votos dele no Colégio Eleitoral — com exceção do Maine e de Nebrasca, que dividem seus votos de acordo com os distritos regionais.

Os Estados Unidos não têm um órgão oficial que divulga, em tempo real, os resultados das urnas, como o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) no Brasil. Por isso, a imprensa faz projeções estatísticas e aponta os vencedores em cada estado.

Todos os veículos indicam que cinco estados ainda estão em aberto:

  • Pensilvânia (20 delegados)
  • Geórgia (16)
  • Carolina do Norte (15)
  • Nevada (6)
  • Alasca (3)

Há dúvida sobre o Arizona, com 11 delegados. Algumas fontes, como AP e Fox News, consideram garantida a vitória do democrata Joe Biden no estado. Outros, porém, como o The New York Times e a AFP, apontam que Trump ainda pode virar.

O estado da Geórgia apresenta 16 delegados e é apontado reduto conservador e republicano desde a década de 1990. Trump lidera por 0,3 ponto percentual. Ele também está vencendo na Carolina do Norte e na Pensilvânia, embora a diferença de 1,8 ponto percentual para Biden neste último já tenha sido de 14 pontos. O republicano é favorito para vencer no Alasca.

Para ser reeleito, Trump precisa confirmar a vitória nesses quatros estados onde lidera, além de virar em Nevada.

Trump pedirá recontagem dos votos

A campanha de Trump anunciou ontem que pedirá recontagem de votos nos estados de Wisconsin e Michigan e que entrará com ação judicial contra o processo eleitoral no estado da Pensilvânia e na Geórgia, com o objetivo de suspender a contagem de votos.

Mais cedo, a Justiça negou os pedidos em Michigan e na Geórgia.

Em Wisconsin, a vitória de Joe Biden foi confirmada pelas agências AP e AFP, o jornal "New York Times" e a rede de TV americana CNN, na tarde de hoje — com 99% das urnas apuradas, o democrata aparece com 49,6% dos votos contra 48,9% de Trump.

Como a diferença entre Biden e Trump é menor que um ponto percentual, o presidente pode pedir uma recontagem de votos.

Eleições Americanas