PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
11 meses

EUA: Menina de 5 anos morre de covid-19 horas após receber alta de hospital

Tagan, de 5 anos, morreu poucas horas após ter alta médica, mesmo com o resultado positivo para o novo coronavírus - Reprodução/KAMR
Tagan, de 5 anos, morreu poucas horas após ter alta médica, mesmo com o resultado positivo para o novo coronavírus Imagem: Reprodução/KAMR

Do UOL, em São Paulo

06/11/2020 13h07

Tagan White, de 5 anos, morreu horas depois de recebeur alta do hospital, mesmo após o resultado positivo para o novo coronavírus, no Texas (EUA). A mãe da criança disse que os médicos informaram que a covid-19 "não afeta as crianças" e por isso iriam dar alta para Tagan. A morte da menina aconteceu no último dia 30, mas foi divulgada ontem pela mídia local.

Lastassija, mãe da menina, disse que no dia 27 começou a notar que a criança estava dormindo por muitas horas. No dia seguinte, Tagan começou a vomitar e a mãe decidiu levá-la ao hospital na quinta-feira (29).

Ao chegarem na unidade de saúde, a menina fez um teste de coronavírus, apesar de não ter febre e tosse, mas o resultado foi positivo para a doença. Mesmo com o diagnóstico, Tagan foi liberada do hospital pelos médicos.

"Eles [os médicos] vieram, nos deram alta e me disseram que ela [Tagan] ficaria bem. [Que a covid-19] Não afeta as crianças, [era só] não tê-la perto de alguém mais velho", disse a mãe da menina à rede de televisão KAMR.

Segundo o site Mirror, quando chegou em casa, Tagan dormiu e na madrugada a mãe dela foi verificar se estava tudo bem e encontrou a filha desacordada, mas ainda respirando. O serviço de atendimento de urgência foi chamado, a menina foi atendida, mas não resistiu e acabou falecendo na madrugada de sexta-feira (30).

A mãe de Tagan disse que a filha sempre usou máscara de proteção contra o coronavírus e era uma criança "perfeitamente saudável". "Minha filha estava perfeitamente saudável. Isso não deveria ter acontecido de jeito nenhum."

Quincy Drone, pai da criança, disse que a filha poderia ter sido salva se não fosse liberada do hospital após o resultado positivo para a doença.

"Nós sentimos, como pais, que nossa filha poderia ter sido salva. Sentimos que não estamos dizendo isso apenas porque é nossa filha. Nós apenas honestamente sentimos que eles provavelmente não deveriam tê-la mandado para casa. Quero dizer, foram apenas erros cometidos. Muitos erros cometidos que custaram a vida a uma criança de cinco anos."

E completou: "Este médico [que deu alta] nos disse que nossa filha ficaria bem, e ela nem mesmo aguentou 24 horas. Ela morreu nas próximas quinze horas [após a saída do hospital]. Não podemos nem dizer a vocês o que estamos sentindo agora".

Internacional