PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Modelo e fotógrafa são presas por tirar fotos sensuais em pirâmide egípcia

Imagens foram feitas no sítio arqueológico de Saqqara, local é considerado um patrimônio histórico pela ONU - Reprodução/Instagram/@salma.elshimy.officiall
Imagens foram feitas no sítio arqueológico de Saqqara, local é considerado um patrimônio histórico pela ONU Imagem: Reprodução/Instagram/@salma.elshimy.officiall

Colaboração para o UOL, em São Paulo

02/12/2020 11h46

Duas mulheres foram presas por conta de uma sessão de fotos na pirâmide de Saqqara, no Egito. A fotógrafa e a modelo não tinham a permissão necessária para fotografar o sítio arqueológico, e, além disso, incomodaram as autoridades com as roupas chamativas e poses sensuais. Os funcionários do local também serão investigados, acusados de negligência, e devem responder na justiça.

Salma al-Shim publicou o ensaio de fotos tiradas no patrimônio histórico no Instagram dela, em que tem 78 mil seguidores, há dois dias. A repercussão das imagens dividiu os seguidores da modelo, alguns acharam o ensaio bonito enquanto outros se irritaram e sugeriram que o bom senso não estaria de acordo com a publicação.

A Polícia de Turismo egípcia logo examinou as imagens, que incomodou arqueólogos, e ordenou a prisão da modelo e da fotógrafa.

Existem regras rígidas em vigor nas antigas pirâmides que proíbem fotografias indecentes e desrespeitosas. As fotos mostram a modelo em pé na frente da pirâmide Saqqara vestindo uma roupa faraônica branca e justa, com acessórios brilhantes. O local é designado como um Patrimônio Mundial da Unesco foi um cemitério ativo por mais de três mil anos

Um comunicado de imprensa emitido pelo ministério do turismo egípcio, divulgado pelo jornal Egypt Independent, revelou que além do "desrespeito" à história, as mulheres não tinham uma permissão necessária para fotografar o sítio.

Waziry, porta-voz do ministério, também garantiu que quando um pedido é feito às autoridades para uma permissão para a sessão de fotos, muitos detalhes são previamente combinados, incluindo o local exato das imagens e as roupas que serão usadas durante a sessão de fotos.

A Polícia de Turismo ouviu depoimentos de seis funcionários da área arqueológica de Saqqara, na província de Giza, para identificar quem permitiu que Shimy entrasse na área arqueológica. Assim que identificado, o funcionário também "será punido".

Não há informações mais profundas sobre as acusações que a modelo e a fotógrafa respondem. Mas, essa não é a primeira vez que um desacato da mesma natureza ocorre; em janeiro, um influenciador passou cinco dias preso por escalar uma pirâmide ilegalmente e postar uma foto, mostrando a necrópole de Gizé ao fundo.

Internacional