PUBLICIDADE
Topo

Internacional

'Irmão' do monstro do Lago Ness assusta turistas e reanima debate

Segundo testemunhas, Teggie de Llyn Tegid tem a cabeça parecida com a de um crocodilo - Fábio Motta/Estadão Conteúdo
Segundo testemunhas, Teggie de Llyn Tegid tem a cabeça parecida com a de um crocodilo Imagem: Fábio Motta/Estadão Conteúdo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

30/11/2020 19h20

Desde o século 6 existe um rumor sobre a presença de uma criatura gigante que habita as profundezas do Lago Ness, na Escócia. No final do século 20, uma TV local fez uma reportagem sobre o "monstro", e chegou a oferecer 20 mil libras como recompensa pela captura do animal, que chegou a ganhar um filme, em 2008.

Classificada como criptídeo aquático, a criatura que "atuou" no cinema na década passada teria a cabeça pequena ligada por um longo e fino pescoço a um enorme corpo - semelhante a um dinossauro. Agora, alguns relatos emergem das profundezas das águas do País de Gales, no lago Llyn Tegid.

"Teggie de Llyn Tegid" surge como um "irmão" do Monstro do Lago Ness, e ressuscita o debate da possível existência de uma criatura gigante, desconhecida pela ciência, sob os mares.

Segundo turistas, a primeira vez que Teggie apareceu foi em 1975, com características de face semelhantes a um crocodilo, o corpo do animal poderia chegar até 3,5 m de comprimento.

O ex-guardião do lago em Llyn Tegid disse ter visto o animal por uma vez: "De repente, vi um objeto acinzentado se movendo na água. Fosse o que fosse, tinha 2,5 metros de comprimento e uma pequena protuberância no meio. Estava se movendo em direção à costa de Llanycil ", relata Dewi Bowen.

Outra testemunha, identificada pelo The Sun como B Vickers, afirma ter visto o monstro enquanto relaxava em uma das pedras que beiram o local:

"Virei 180 graus e olhei diretamente para o monstro. O motivo da minha reviravolta repentina foi porque ele estava olhando para mim. Estava a cerca de vinte metros de distância, sua cabeça e pescoço negros transparentes acima da superfície da água", conta o homem.

Segundo Andy McGrath, o autor de "Bestas da Grã-Bretanha", que ouviu mais sete testemunhas oculares da criatura no lago do País de Gales, uma razão pode justificar a sobrevivência desses "monstros" por tanto tempo.

"Tenho uma teoria de que essas criaturas povoam a maioria dos lagos, rios e canais costeiros do Reino Unido e que, como animais anfíbios [que vivem na terra e na água], podem se mover sobre a terra quando necessário para se alimentar ou se reproduzir em outros corpos de água ou usar rios, que se conectam a outros lagos e ao mar, para encontrar áreas de alimentação frescas ou um companheiro", diz McGrath.

O Lago Bala ou Llyn Tegid, onde o animal misterioso pode estar abrigado, tem aproximadamente 6km de comprimento, 800 metros largura e 40 metros de profundidade. A região também é frequentada por pescadores e praticantes de esportes aquáticos.

Internacional