PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
2 meses

Filantropo deixa parte do testamento para 50 gatos moradores de museu russo

Imagem ilustrativa de gato - Buenosia Carol/Pexels
Imagem ilustrativa de gato Imagem: Buenosia Carol/Pexels

Colaboração para o UOL, em São Paulo

08/12/2020 14h48

Um filantropo francês anônimo deixou uma pequena parte de seu testamento para os 50 gatos que vivem no porão do Museu Estatal Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia. Os felinos beneficiados terão um lar reformado graças à doação.

Os animais do subsolo do museuhttps://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2020/12/11/maradona-conheca-a-historia-do-anel-de-r-15-milhao-deixado-pelo-astro.htm são tão queridos que, graças a outras várias doações, já possuem serviço veterinário e até uma máquina de lavar própria. Eles recebem há anos o carinho de voluntários e funcionários.

O diretor do local, Mikhail Piotrovsky, explicou, segundo a CNN, que o mais recente doador ficou tão fascinado com os gatos, que resolveu deixar uma "pequena quantia" para eles.

Museu Estatal Hermitage - Wikimedia Commons  - Wikimedia Commons
O Museu Estatal Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia
Imagem: Wikimedia Commons

"A soma não é muito grande, mas é muito importante quando a pessoa escreve um testamento e os advogados franceses entram em contato [com nós]. Não é um [processo] simples, mas tudo isso é muito interessante, não é?", comentou Piotrovsky.

Ainda segundo o diretor, o benfeitor sigiloso não foi o único a deixar uma parte do testamento aos peludos. Outro doador foi o ex-presidente da Academia Russa de Ciências, Vladimir Fortov, que faleceu no mês passado.

Fortov era um "amigo constante" dos felinos. Em vida, ele fazia visitas ao museu, aproveitando para deixar doações para os animais domésticos.

Gatos vivem no Museu Estatal Hermitage desde o século 18. Os primeiros apareceram ainda durante o reinado da Imperatriz Elizabeth na Rússia (1741 a 1761).

Mais tarde, a majestade sucessora, Catarina II, deu aos gatos do museu a honra de protetores das galerias de arte. Atualmente, o acervo do local conta com 3 milhões de obras, incluindo artefatos e esculturas.

Internacional