PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

EUA: dono de loja 'anti-máscara' usa arma para expulsar cliente, diz TV

"Pare! Máscaras não são permitidas na loja", diz aviso na entrada do estabelecimento - Reprodução/Facebook
"Pare! Máscaras não são permitidas na loja", diz aviso na entrada do estabelecimento Imagem: Reprodução/Facebook

Colaboração para o UOL, em São Paulo

14/01/2021 19h45

O dono de uma loja de presentes no Arizona, estado dos EUA, está sendo investigado após uma discussão com um cliente ter culminado em agressões físicas. De acordo com o relatório policial, a briga teria começado após o cliente se recusar a não usar máscara nas dependências da loja.

Scott Cerkoney, dono da loja, propõe abertamente uma política "anti-máscara" no estabelecimento. Segundo depoimentos recolhidos pela polícia, ele teria apontado uma arma para o cliente enquanto o expulsava do local.

Conforme indicado por uma testemunha entrevistada pelo canal local AZ Family, afiliado da emissora CBS, a discussão verbal foi ríspida e durou cerca de um minuto. O cliente até ouviu as ordens de sair do local, mas decidiu voltar e "empurrou Scott com muita força".

Após essa primeira agressão, o dono da loja teria sacado uma arma e dito: "Saia da minha loja agora!", de acordo com a testemunha, que não teve o nome revelado.

Apesar de o relato da testemunha corroborar com o depoimento prestado no cliente em relação à ameaça com arma, ele diverge em certo ponto. O cliente disse aos policiais que Scott teria batido em seu peito e colocado o dedo em seu rosto, mas, segundo a testemunha, o vendedor não teria encostado no cliente.

"Ele [o dono] não o agrediu e simplesmente repetia: 'Você vai embora. Não permitimos que as pessoas usem máscaras em nossa loja'", disse a testemunha, que não tem ligação pessoal com o dono da loja tampouco com o cliente.

O cliente, que preferiu não ter o nome revelado, disse aos policiais que estaria disposto a ajudar na acusação, caso a investigação determine que algum crime foi cometido. Ele ainda sugeriu que o departamento checasse as redes sociais de Scott, onde ele vive "reclamando dos que não são conversadores".

Questionado pela polícia sobre a política de não usar máscara, Scott apresentou aos oficiais um vídeo com informações questionáveis sobre a eficácia das máscaras na prevenção do coronavírus.

Vale ressaltar que estudos científicos apontam que o uso coletivo das máscaras vem se mostrando cada vez mais uma estratégia fundamental para a proteção e bem-estar de cada indivíduo na luta contra o coronavírus

O Departamento de Polícia segue investigando o incidente. A Secretaria de Saúde Municipal e o Departamento de Serviços de Saúde do Arizona já foram alertados sobre a política anti-máscara da loja.

Internacional