PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Menina comove vendedores com carta inocente e ajuda família a comprar casa

A carta entregue pela menina com as economias da mesada para ajudar no sonho da casa própria - Reprodução/Facebook
A carta entregue pela menina com as economias da mesada para ajudar no sonho da casa própria Imagem: Reprodução/Facebook

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/01/2021 12h48

Uma menina de dez anos ajudou a família dela a comprar uma casa, após juntar suas economias e entregar para os pais uma cartinha carinhosa com o dinheiro, na inocente intenção de ajudá-los a lidar com a alta dos preços na cidade de Sydney, na Austrália.

A família Touzel estava morando de aluguel desde que se mudou para Sydney, em janeiro do ano passado. Contudo, nesse período o mercado imobiliário entrou em alta e a procura de uma casa própria para os pais criarem duas crianças estava complicada.

"Em nossa região, as casas só permaneciam no mercado por 8 a 10 dias e as ofertas geralmente eram aceitas na primeira casa aberta", escreveu Bec Touzel, mãe da família.

Acompanhando de perto a angústia dos pais para conseguir uma casa em um preço acessível, a menina de dez anos resolveu agir. Ela juntou AU$ 11,75 (equivalente a R$ 49) e colocou o dinheiro em uma cartinha, pedindo para os pais não o devolverem e usarem para a compra da casa.

Bec relatou a história no grupo "The Kindness Pandeminc" (A Pandemia Bondosa, em tradução livre), onde confessou que já estava ficando "muito desanimada" com as chances de comprar uma casa, ainda mais tendo em vista que o contrato de aluguel estava prestes a expirar.

Ela ainda revelou que a filha acompanhava a acompanhava nos encontros com corretores para ver imóveis, e que a cartinha veio justamente após elas visitarem uma casa que a menina adorou, mas estava com valor um pouco acima do que a família poderia arcar.

Mesmo assim, eles decidiram fazer uma oferta para o proprietário e a mãe teve a ideia de usar a carta inocente da filha como trunfo para persuadi-lo no negócio. "Achei muito bonita [a carta] e enviei com a nossa oferta", escreveu Bec.

A ideia deu certo. Apesar de receberem ofertas mais vantajosas pelo imóvel, os vendedores foram tocados pelo bilhete da criança. "Eles disseram que têm duas filhas e se lembravam de ter procurado o primeiro lar", contou Bec.

Então, os proprietários entraram em contato com a família Touzel e, após uma curta renegociação, firmaram um acordo abaixo do valor pedido.

"Estamos em nossa bela casa nova há um mês e somos muito gratos pela generosidade que nos foi mostrada!", concluiu Bec, feliz por ter conseguido a primeira casa própria.

Internacional