PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Jovem é retirada de aula por usar roupa comparada a lingerie no Canadá

Karis, de 17 anos, foi retirada da sala de aula pois sua roupa foi considerada inadequada - Reprodução/Facebook
Karis, de 17 anos, foi retirada da sala de aula pois sua roupa foi considerada inadequada Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

01/03/2021 08h22

O canadense Christopher Wilson está revoltado depois que sua filha, Karis, teve que sair da sala de aula porque a roupa dela foi considerada uma "lingerie" e poderia fazer um professor se sentir "estranho". O caso aconteceu na terça-feira (23) e, desde então, a jovem de 17 anos não voltou à escola.

A adolescente, que estuda na Escola Secundária NorKam na Colúmbia Britânica, usava um vestido preto na altura do joelho com detalhes em renda e uma blusa de gola alta e mangas compridas por baixo. As peças foram consideradas inadequadas e um professor pediu que ela voltasse para casa pois ele poderia se sentir "estranho". Outra docente teria comparado o look com uma "lingerie".

"Isso [a retirada da jovem da escola] é completamente inaceitável nos dias de hoje. É um vestido de algodão. Não é transparente, vai até os joelhos e tem uma blusa de gola alta por baixo", disse Christopher ao Daily Star.

O pai de Karis contou que a filha costuma usar calças esportivas e casacos com capuz para ir à escola, e aquela foi uma situação excepcional que a adolescente decidiu usar as peças diferentes.

De acordo com o pai, ele conversou com o diretor e vice-diretor que informaram que o código de vestimenta da escola impede que os alunos usem qualquer coisa que possa "distrair o ensino ou a aprendizagem".

Revoltado com a resposta, o homem compartilhou um vídeo de desabafo no Facebook. Ele recebeu apoio de diversas pessoas ao redor do mundo, no entanto, a escola começou a receber reações violentas de internautas e "as coisas começaram a piorar".

"Sentimos que não é melhor tê-la de volta na classe agora que está se tornando um problema. Não a queremos de volta na classe e queremos encontrar outra solução para que ela possa concluir seus estudos."

Terrence Sullivan, superintendente da escola, disse que o código está sendo revisado e que a questão será discutida internamente.

"Estamos revisando este incidente e estamos preocupados com as alegações e as tratamos com muita seriedade. Este incidente, como todos os incidentes envolvendo nossos alunos, é um assunto que não podemos discutir publicamente. Separadamente, mas oportuno em relação ao assunto em NorKam, é a revisão do Código de vestimenta Procedimento Administrativo."

Internacional