PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Adolescente compra iPhone por pechincha e recebe mesa no formato do celular

Jovem com a encomenda do iPhone frustrada em mãos - Reprodução/Facebook
Jovem com a encomenda do iPhone frustrada em mãos Imagem: Reprodução/Facebook

Colaboração para o UOL, em São Paulo

29/03/2021 10h54

Casos de compras baratas na internet que acabam saindo "caras", pois o produto recebido não era como o esperado, não são incomuns. No entanto, um adolescente tailandês se surpreendeu ao pagar uma pechincha pelo o que ele pensava ser um iPhone 7 e receber uma mesa no formato do produto.

Ao se deparar com anúncio, no site Lazada, o jovem estranhou que o smartphone estivesse tão barato. Por outro lado, os custos com o frete estavam mais elevados que o habitual, mesmo assim o aficionado por produtos da Apple se convenceu de que aquela era uma "excelente compra", conforme informado pelo site 'Oriental Daily'.

Contudo, ao receber o pacote, o tailandês soube de cara que algo estava errado. A caixa com a encomenda era enorme e, de fato, havia um tipo de iPhone ali, mas não do tipo que ele esperava.

O "iPhone 7" barato, na verdade, era uma mesa de centro com o formato e design do celular. Ainda que frustrado, o adolescente reconheceu que não foi alvo de má-fé dos vendedores e admitiu que se tivesse lido a descrição do produto, antes de comprá-lo ansiosamente, saberia do que ele realmente se tratava.

Mesa montada na casa do tailandês - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Mesa montada na casa do tailandês
Imagem: Reprodução/Facebook

As fotos e a história tragicômica do tailandês rapidamente foram compartilhadas nas redes sociais, onde internautas descobriram que a empresa que fabrica as mesas é sul-coreana. Logo, a web passou a comparar os modelos disponíveis e se rendeu ao design muito semelhante do móvel com os celulares.

A versão de mesa do "iPhone 7", comprada pelo jovem, está anunciada no site da fabricante pelo preço de 310 mil Wons sul-coreanos, quantia que na cotação atual equivale a um "erro" de R$ 1580, cometido pelo adolescente.

Internacional