PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Vaticano condena divisão dentro da Igreja Católica

Vaticano - Getty Images/iStockphoto
Vaticano Imagem: Getty Images/iStockphoto

Colaboração para o UOL

05/04/2021 13h00

Em entrevista para uma rádio da Espanha, o cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado do Vaticano e número dois na hierarquia vaticana, falou sobre diversos temas importantes relacionados à Igreja Católica, incluindo suas preocupações pelos contrastes que existem hoje dentro da instituição.

Parolin condenou a divisão entre as chamadas alas "conservadoras" e "progressistas" do clero, situação que "só causa dano à Igreja", afirmou nesta segunda-feira.

Para o Secretário de Estado, a questão do contraste na comunidade eclesial é incompatível com o testemunho do Evangelho, tendo "Cristo rezado por sua unidade", pontuou. Parolin também refletiu sobre como este "problema" pode derivar das inúmeras reformas realizadas pelo papa Francisco. De acordo com o cardeal italiano, "há muita confusão a respeito disso".

Ao longo da entrevista, ainda falando sobre as divisões internas da instituição, Parolin reiterou que a "estrutura da Igreja", "os sacramentos e o ministério apostólico", não podem ser mudados, mas reconheceu que há "toda uma vida da Igreja que pode ser renovada", uma vida na qual operam "homens pecadores" e que, portanto, "precisa ser continuamente renovada".

Às vezes, explicou o Secretário de Estado, essas divisões e oposições, "provavelmente derivadas do fato de que o papa dá muito destaque à reforma da Igreja", surgem da confusão, da incapacidade de distinguir "entre o que é essencial e não pode mudar e o que não é essencial e deve ser reformado, deve mudar de acordo com o espírito do Evangelho", declarou.

Sobre a reforma na Cúria Romana, administração central da Igreja Católica, o cardeal Parolin acrescentou que a tarefa da Secretaria de Estado, órgão que auxilia de perto o papa Francisco no governo da Igreja Católica e coordena as relações diplomáticas da Santa Sé com os outros Estados, "continuará inalterada".

O cardeal também confirmou que a nova Constituição Apostólica, que tem o nome provisório de "Praedicate Evangelium" ("Preguem o Evangelho", em tradução livre), substituirá a ordem da Cúria Romana atualmente em vigor.

Internacional