PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Mulher sofre morte súbita durante amamentação e filha morre asfixiada

Antes de morrer, Mariana já havia perdido um bebê com uma semana de vida - Reprodução/Facebook/Mariana Ojeda
Antes de morrer, Mariana já havia perdido um bebê com uma semana de vida Imagem: Reprodução/Facebook/Mariana Ojeda

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/05/2021 10h46

Uma mãe e seu bebê de dois meses foram encontrados mortos em casa, em Corrientes, na Argentina, na última segunda (3). Após não encontrar sinais de violência no local, os investigadores chegaram à conclusão que Mariana Ojeda, 30, sofreu uma morte súbita enquanto amamentava a filha, Delfina, que morreu sufocada nos seios da mãe.

Gabriel, marido de Mariana, disse ao site TN News que ela havia relatado um zumbido no ouvido pela manhã. Ele foi para o trabalho e, mais tarde, telefonou para a mulher para saber seu estado de saúde. Após várias chamadas não respondidas, o outro filho do casal, Ignacio, de 3 anos, atendeu e disse que a mãe ainda estava dormindo.

O homem de 47 anos passou a suspeitar que algo havia acontecido e decidiu voltar para casa. Ao chegar no local, encontrou a mulher e a filha mais nova sem vida. "Minha bebê estava roxa e minha esposa estava fria. Foi horrível", relatou.

A polícia foi acionada, mas não encontrou sinais de violência. Uma autópsia subsequente revelou que a mulher de 30 anos sofreu uma parada cardiorrespiratória e a menina morreu asfixiada. "Vê-se que Mariana desmaiou e a bebê sufocou de leite", disse Gabriel.

Além dos dois filhos, o casal ainda teve um terceiro, Fabrício, que morreu com apenas uma semana de vida.

Mariana também era mãe de uma garota de 11 anos, que nasceu de um outro relacionamento.

A menina mais velha não presenciou a morte da mãe, pois estava na casa da avó, devido a uma aula de catequese - religião praticada pela família. "No dia 15 de maio íamos batizar Delfina em Itatí, mas o destino não o quis", lamentou o viúvo.

Internacional