PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Centenas de tubarões aparecem em rio nos EUA para fugir de 'maré vermelha'

Tubarões que fogem da maré vermelha tóxica se refugiam no canal da Flórida - Reprodução/Youtube
Tubarões que fogem da maré vermelha tóxica se refugiam no canal da Flórida Imagem: Reprodução/Youtube

Colaboração para o UOL, em São Paulo

04/08/2021 13h30

Centenas de tubarões se refugiaram em um rio na Flórida, nos Estados Unidos, para escapar de uma "maré vermelha", um surto de algas tóxicas que pode matar os animais marinhos.

Os moradores de Buttonwood Harbor, em Longboat Key, registraram a cena em vídeo. Nas imagens, é possível observar variadas espécies de tubarões nadando perto das residências, algo incomum na região.

Segundo o jornal The Guardian, o estado da Flórida luta há anos contra surtos de maré vermelha, causados pela alga Karenia brevis. Estes organismos podem fazer bem ao ecossistema se existirem de forma controlada. Caso contrário, se mostram maléficas ao habitat de outros animais.

A FFWC (Comissão de Pesca e Vida Selvagem da Flórida, em tradução livre) relatou a morte de vários peixes na última semana em nove condados e disse ainda que mais cinco condados registraram reclamações de problemas respiratórios em humanos, que estariam ligados ao surto das algas.

Os especialistas dizem que os tubarões avistados em Longboat estão procurando um refúgio com alimentação, segurança e oxigênio.

"Você normalmente não vê tubarões se acumulando assim nesses canais, eles vão lá, mas não nos grandes números que estamos vendo relatados", diz Mike Heithaus, professor de ciências biológicas da Universidade Internacional da Flórida, ao The Guardian.

"Não sabemos qual pode ser o gatilho para os tubarões que vão para essas áreas, mas não é o tipo de coisa que você veria se não fosse um grande evento de maré vermelha", diz o cientista.

Enquanto o fenômeno ocorre, os tubarões devem continuar presos no canal, onde possivelmente encontrarão dificuldades para se adaptar. "Mas, ao mesmo tempo, se essas condições forem para o sul no canal, não há para onde correr", encerra Heithaus.

Vista aérea mostra uma maré vermelha, que indica o florescimento de uma bactéria na costa de Dameisha, Shenzhen, província de Guangdong, China  - Li Suren/Xinua - Li Suren/Xinua
Vista aérea mostra uma maré vermelha, que indica o florescimento de uma bactéria na costa de Dameisha, Shenzhen, província de Guangdong, China
Imagem: Li Suren/Xinua

Internacional