PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Detenta se passa por 'sósia' e dá golpe para ser liberada de prisão nos EUA

Ellen Globe tem a mesma altura, biotipo e cor de cabelo da outra detenta - Reprodução/Randolph County Sheriff"s Office
Ellen Globe tem a mesma altura, biotipo e cor de cabelo da outra detenta Imagem: Reprodução/Randolph County Sheriff's Office

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/09/2021 10h59Atualizada em 04/09/2021 09h28

Uma prisioneira do Condado de Randolph, no estado norte-americano do Missouri, deu um golpe ao confundir os agentes penitenciários e se passar por outra detenta, muito parecida com ela, que havia terminado de cumprir sua pena, no último final de semana. Com isso, Ellen Globe, de 24 anos, foi liberada por engano e está sendo procurada pelas autoridades locais.

De acordo com o canal Komu, Globe estava cumprindo pena por porte de drogas, roubo, dirigir sem licença e, também, por rebelião. Apesar da lista extensa de crimes, a jovem não era considerada perigosa e acredita-se que ela arquitetou todo o plano para confundir os agentes penitenciários.

Tanto o nome quanto o destino da prisioneira confundida com Globe não foram revelados. No entanto, o xerife Aaron Wilson revelou que elas têm a mesma altura, biotipo, cor de cabelo e cor dos olhos.

Além das semelhanças físicas, Globe teria contado com a inexperiência dos agentes penitenciários, novos no local, e se aproveitado de uma recente mudança de cela para se passar pela outra mulher.

O plano mirabolante pode ter contado com uma ajuda da outra detenta, uma vez em que Globe sabia muitas informações pessoais a respeito dela. Entretanto, ao assinar a liberação em seu nome e fugir da cadeia, Globe cometeu mais crimes e deve ter a pena aumentada, caso as autoridades a capturem novamente.

Uma investigação interna foi lançada pela prisão para apurar os erros que levaram à fuga de Globe. "Reformulamos todas as nossas medidas de segurança e estamos trabalhando com meu novo administrador penitenciário e funcionários para garantir que isso não aconteça novamente", disse Aaron Wilson.

O xerife também considerou a fuga como um "incidente isolado" e afirmou nunca ter visto nada parecido em seus 18 anos de carreira.

Internacional