PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Papa Bento XVI condena casamento homossexual em novo livro

Em livro lançado hoje, Bento 16 diz que casamento entre pessoas do mesmo sexo é contrário às culturas da humanidade. -
Em livro lançado hoje, Bento 16 diz que casamento entre pessoas do mesmo sexo é contrário às culturas da humanidade.

Colaboração para o UOL

16/09/2021 10h11

O papa emérito Bento 16 publicou um novo livro hoje, batizado de "La vera Europa" (A Verdadeira Europa, em tradução livre), em que faz duras críticas ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. Segundo Joseph Ratzinger, "o conceito de casamento homossexual está em contradição com todas as culturas da humanidade".

O texto é inédito, escrito em abril deste ano e intitulado "Para fazer justiça perante Deus pela tarefa que nos foi confiada para o homem". Ele faz parte de uma compilação de seus discursos sobre a Europa, publicados na Itália. O livro também inclui um prefácio escrito pelo papa Francisco.

"O tema do matrimônio e da família assumiu uma nova dimensão que certamente não pode ser ignorada", escreve Bento 16. "Estamos testemunhando uma distorção de consciência que evidentemente penetrou profundamente em setores do povo católico".

O papa emérito enfatiza que, ao longo dos séculos, mesmo em diferentes culturas, o "fato de que a existência do homem - na sua forma masculina e feminina - está orientada à procriação" e que a "transmissão da vida determina a essência do que se chama casamento".

Joseph Ratzinger também defende uma "ecologia" que proteja a humanidade. Segundo o papa emérito, numa época de máxima atenção ao planeta e aos seus habitantes, a única natureza que corre o risco de ser esmagada é, precisamente, a do homem. "O homem também possui uma natureza que foi dada a ele, e violá-la ou negá-la leva à autodestruição".

Papa Francisco adota postura diferente

Durante a sua já tradicional coletiva de imprensa com jornalistas no voo de regresso a Roma da Eslováquia ontem (15), o papa Francisco voltou a apoiar as leis civis que protegem a união entre pessoas do mesmo sexo.

O líder da Igreja Católica, contudo, deixou claro que o matrimônio, um sacramento, é "só entre um homem e uma mulher".

"O matrimônio é só entre um homem e uma mulher. É um sacramento e a Igreja não tem o poder de mudar os sacramentos. Mas, há leis que buscam civilmente ajudar tantas pessoas que têm uma orientação sexual diferente. É importante ajudar as pessoas, mas sem impor coisas que, por sua natureza, não podem na Igreja".

Francisco foi questionado sobre uma resolução do Parlamento Europeu que pediu que os casais homossexuais se beneficiassem, em todos Estados-membros, dos mesmos direitos dos casais heterossexuais.

"Se um casal homossexual quer levar uma vida em conjunto, os Estados têm a possibilidade de lhes segurança, estabilidade (?) não só para os homossexuais mas para todas as pessoas que se desejem juntar. Mas o casamento é o casamento".

"O que eu disse, às vezes cria confusão, é que são todos iguais. Há que respeitar a todos", finalizou Francisco.

Internacional