PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
15 dias

Trabalhando após 14 anos, mãe de Madeleine McCann atua contra a covid-19

Kate McCann (à esquerda), mãe da menina Madeleine, garota britânica desaparecida desde 2007 em Portugal, em audiência em Lisboa, em 2013 - Manuel De Almeida/EFE
Kate McCann (à esquerda), mãe da menina Madeleine, garota britânica desaparecida desde 2007 em Portugal, em audiência em Lisboa, em 2013 Imagem: Manuel De Almeida/EFE

Colaboração para o UOL

21/09/2021 00h59Atualizada em 21/09/2021 00h59

Após passar 14 anos se dedicando a encontrar a filha Madeleine McCann, desaparecida em Portugal quando tinha apenas 3 anos, Kate McCann voltou a trabalhar como médica em Leicester, no Reino Unido. Agora, aos 53 anos, ela atua na linha de frente no combate à covid-19 em diferentes hospitais da cidade, que possui cerca de 350 mil habitantes e é uma das mais afetadas pela doença no país.

Um amigo da família McCann contou ao jornal britânico "The Sun" que Kate está "feliz" e "encantada" por retomar a profissão e "ajudar os necessitados". "[Estou] fazendo a minha pequena parte para ajudar", teria dito ao amigo.

A nova rotina tem deixado Kate tão ocupada que agora é difícil vê-la com o marido, Gerry McCann, de 53, contou a fonte. Mas Kate consegue, às vezes, trabalhar no mesmo hospital que Gerry, cardiologista retomado no Reino Unido.

Kate e Gerry deixaram seus empregos quando a filha desapareceu, em maio de 2007, em Portugal. Apenas Gerry voltou a trabalhar, enquanto Kate se concentrou nas buscas por sua filha e a cuidar dos gêmeos Sean e Amelie, irmãos de Madeleine, hoje com 16 anos.

Relembre o caso

Madeleine McCann, de 3 anos, desapareceu durante as férias com os pais e irmãos na Praia da Luz, em Algarve (Portugal). A família viajou com um grupo de amigos para o resort Ocean Club onde ficaram hospedados.

Kate e Gerry jantavam no restaurante dentro resort quando Madeleine foi levada do apartamento, onde dormia, na noite de 3 de maio de 2007. Ela e os irmãos estavam sozinhos no quarto.

A busca por Maddie, como os pais carinhosamente a chamam, causou comoção em Portugal e no mundo. Mesmo com a intensa busca pela menina, apenas no ano passado a polícia alemã anunciou um suspeito, o alemão Christian Brueckner, de 44 anos.

O principal suspeito do desaparecimento de Madeleine é Christian Brueckner, de 44 anos. Ele está preso em uma penitenciária de segurança máxima em Oldenburg, na Alemanha, onde cumpre pena por tráfico de drogas.

Brueckner, segundo as autoridades alemãs, possui outras condenações por abuso sexual contra crianças e pelo estupro de uma mulher de 72 anos. Ele também é investigado por pelo menos cinco crimes sexuais e assassinato de uma adolescente de 16 anos.

A polícia acredita que ele sequestrou Madeleine e depois a matou, ainda em Portugal, mas ainda não divulgou evidências que comprovassem o crime.

O homem morou em Portugal no período em que a família McCann passava férias no país. Na época, ele foi um dos suspeitos investigados, mas não foram encontradas provas suficientes para prendê-lo. O suspeito nega envolvimento no caso de Maddie.

Pais ainda esperam por Madeleine

Os pais de Madelene McCann mantêm até hoje o blog "Find Madeleine" com informações sobre a filha, posicionamentos oficiais do casal e fotos da garota.

Kate e Gerry falam em sua última postagem, em maio de 2021, quando Maddie completaria 18 anos, sobre a esperança de que um dia vão encontrar a filha e saber o que aconteceu com ela.

Internacional