PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
2 meses

Vídeo: Em cena rara, urso polar persegue e mata rena

Cena de perseguição entre urso polar e rena, registrada em arquipélago norueguês, é rara - Reprodução/Youtube
Cena de perseguição entre urso polar e rena, registrada em arquipélago norueguês, é rara Imagem: Reprodução/Youtube

Do UOL, em São Paulo

29/11/2021 18h22Atualizada em 29/11/2021 18h22

Um urso polar foi filmado caçando uma rena no arquipélago de Svalbard, território norueguês no meio do Oceano Ártico. A cena chamou a atenção de ambientalistas por representar uma alteração na dieta usual destes animais, levando-os a acreditar que os predadores estão sendo levados a se adaptar ao clima cada vez mais quente nas regiões polares.

A cena de perseguição foi registrada em agosto, no verão europeu, quando a camada de gelo recua e leva consigo as focas, a presa principal dos ursos polares. Neste cenário, um time de pesquisadores de uma base polonesa no arquipélago flagrou a jovem ursa matando a rena, levando-a para dentro da água e a afogando, antes de comer, segundo informações do site France24.

Izabela Kulaszewicz, bióloga na Universidade de Gdansk, foi um dos membros da equipe a testemunhar a cena, considerada tão fora do comum que deu origem a um novo relatório sobre a biologia polar, escrito por ela e outros dois colegas e publicado na última semana.

O trio de cientistas sugeriu que a situação é uma mostra de que os ursos polares estão casa vez mais inclinados a caçar animais terrestres para compensar seu acesso limitado às focas, consequência do degelo acelerado.

As renas seriam as mais prejudicadas com esse fenômeno, com indicações de que a predação destes animais vem crescendo nas últimas décadas. Além da retração da camada de gelo, que mantém os ursos polares em terra firme por mais tempo, a população de renas vem crescendo no arquipélago de Svalbard desde 1925, quando caçadores foram proibidos de capturar a espécie.

A caça de nova presa por ursos polares é uma questão de "necessidade e oportunidade", concluem os pesquisadores, segundo o tabloide britânico Mirror.

O arquipélago de Svalbard fica a apenas 1.000 quilômetros do Polo Norte e tem uma população de cerca de 300 ursos polares sedentários e 20.000 renas. Apesar da teoria dos pesquisadores poloneses, outros cientistas afirmam que é preciso analisar o fenômeno predatório com cuidado, já que o crescente número de animais e de seres humanos na região facilitam o flagra de cenas como a observada em agosto.

"Se ursos polares matavam renas nos anos 1950 e 60, seria muito raro que fosse visto, já que havia poucas pessoas, poucos ursos e poucas renas (no arquipélago) ", argumentou Andrew Derocher, professor na University de Alberta, no Canadá, ao Mirror.

"Agora, com as mídias modernas, todo mundo tem uma câmera, perfis nas redes sociais e as 'notícias' se espalham rápido", concluiu.

Apesar de focas serem suas presas principais, ursos polares também se alimentam de ovos, pássaros, golfinhos e roedores.

Renas também são fontes de alimento compatíveis durante o período de verão, que agora é prolongado por causa do aquecimento global, segundo especialistas ouvidos pelo tabloide britânico.

Dois dias depois da primeira gravação, a mesma ursa polar foi vista se alimentando da carcaça de outra rena. Jon Aars, norueguês coautor do artigo sobre a rara variação dentro da cadeia alimentar, também destaca que as "renas podem ser importantes pelo menos para alguns dos ursos polares quando eles tem que passar períodos longos em terra firme".

Internacional