PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Paisagem paradisíaca e 100 mortos: Buraco Azul é cemitério de mergulhadores

Mergulhador se aventura no Buraco Azul, na costa do Egito - Reprodução/ Youtube
Mergulhador se aventura no Buraco Azul, na costa do Egito Imagem: Reprodução/ Youtube

Do UOL, no Rio

26/06/2022 16h39

De longe, ele parece uma linda piscina natural, com corais e um recife repleto de vida. De perto, pode ser uma armadilha mortal. Esse é o Buraco Azul, uma formação natural existente no Mar Vermelho, na costa da Península do Sinai, no Egito. O local é conhecido como "cemitério dos mergulhadores" e já deixou uma lista de mais de cem vítimas confirmadas.

Especialistas dizem ser possível que existam corpos presos dentro dos túneis até hoje.

Devido ao grande número de mortes, o local é considerado amaldiçoado. O Buraco Azul é formado por uma piscina natural de aproximadamente 6 metros de profundidade, ligada a um túnel principal de 26 metros e um sumidouro, que tem 120 metros no total. As informações são do jornal inglês Daily Star.

A estrutura pouco comum dessa formação geológica provoca em mergulhadores o fenômeno conhecido como narcose por nitrogênio, que provoca confusão e desorientação nas vítimas.

Em 1997, os corpos entrelaçados de dois jovens mergulhadores irlandeses foram recuperados do Buraco Azul. Os dois estavam abraçados o que, na verdade, sugere que um deles agarrou o outro e acabou arrastando-o para a morte ao tentar se salvar.

Uma pedra memorial para a dupla fica na costa próxima, junto com dezenas de outras. Tantas que agora o local se assemelha a um cemitério.

Internacional