Conteúdo publicado há 2 meses

Aluno de medicina é preso após matar a mãe com mais de 70 facadas nos EUA

Um estudante de medicina da Flórida, de 21 anos, matou a mãe durante uma visita à residência da família no último sábado (6), esfaqueando-a mais de 70 vezes.

O que aconteceu

Emmanuel Espinoza deixou o dormitório na Universidade da Flórida, em Gainesville e viajou para Frostproof, onde a família dele mora, no sábado. Ao chegar à residência, ele tocou a campainha e, quando a mãe, Elvia Espinoza, 46, abriu a porta, o rapaz a esfaqueou mais de 70 vezes.

Imagens da câmera de monitoramento da residência registraram o momento em que o jovem chega à residência e toca a campainha. É possível notar que ele está armado com uma faca, que ele manteve escondida, com a mão às costas.

Após cometer o crime, o rapaz ligou para os serviços de emergência e aguardou a chegada da polícia. A apuração é da NBC News.

O xerife do condado de Polk, Grady Judd, contou em entrevista coletiva que Espinoza confessou ter esfaqueado sua mãe repetidamente. Ele disse aos detetives que sabia onde esfaqueá-la para provocar mais danos devido às aulas que teve na universidade.

O jovem foi acusado de homicídio em primeiro grau. Segundo o xerife, quando Emmanuel conversou com os detetives, ele disse amar sua mãe e ter um bom relacionamento com ela, mas que ela o irritava. Elvia era mãe de três filhos e trabalhava como professora na Ben Hill Griffin Elementary em Frostproof.

Espinoza disse aos detetives que não estava sob o efeito de drogas ou álcool no momento do crime.

O estudante era conhecido por ser introvertido e quieto, sem histórico de problemas. Ele foi o orador da turma de 2020 em sua escola e foi "descrito como um gênio", afirma o xerife.

Espinoza disse aos detetives que amava a mãe, mas que ela o irritava demais e, por isso, a matou
Espinoza disse aos detetives que amava a mãe, mas que ela o irritava demais e, por isso, a matou Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Deixe seu comentário

Só para assinantes