Conteúdo publicado há 1 mês

Pai de colombiana morta por homem extraditado do Brasil: 'Ponto final'

Martín Mestre, que encontrou no Brasil o assassino da filha, Jaime Saade, após 26 anos de buscas, afirmou ao portal El País que vê a extradição de Saade como um "ponto final" para a história. "Mas nunca se sabe", completou.

O que aconteceu

Martín Mestre disse que não sente "nenhuma necessidade" de ver pessoalmente Jaime Saade. "Eu já sei de tudo, e ele é o responsável direto [pelo assassinato]", completou o pai de Nancy Mestre, colombiana assassinada aos 18 anos, em 1994.

Pai da vítima foi responsável pelas buscas e procurou por Jame por conta própria. Após perder a filha, Martín Mestre fez um curso de inteligência e começou a buscar o assassino com ajuda das redes sociais. Foi por causa dele que o paradeiro de Jaime foi localizado no Brasil.

Após uma disputa na justiça, a extradição de Saade foi confirmada hoje pelo advogado de defesa da família de Nancy Mestre. Raul Rafael Romero compartilhou no Instagram imagens de Saade no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, onde ele embarcou de volta ao país natal. As imagens são do grupo colombiano Mercado de Contenidos.

O UOL contatou a Polícia Federal e o Ministério da Justiça para confirmar os termos da extradição. A PF, porém, disse não comentar casos de extradição até que o condenado seja recolhido no sistema prisional.

Recebemos essa notícia com alegria, pois após 30 anos de luta incansável do Sr. Martín Mestre, a justiça pelo assassinato covarde que ocorreu na madrugada de 1º de janeiro de 1994 foi alcançada.
Advogado de Martín Mestre, Raul Rafael Romero

Relembre caso

Jaime Saade foi condenado à prisão em 1996. Ele era acusado da morte da namorada Nancy Mariana Mestre, 18, em Barranquilla, na Colômbia.

Continua após a publicidade

Nancy foi ferida pelo então namorado na noite de Ano Novo. Ela tinha ido a uma festa com Jaime, mas não voltou para casa. Após procurar pela jovem, o namorado mentiu ao pai dela e disse que Nancy teria "sofrido um acidente" após tirar a própria vida.

Jovem morreu após dias internada. Após investigações, a polícia colombiana descartou a hipótese de suicídio. As autoridades também confirmaram que a vítima foi abusada sexualmente antes de ser assassinada.

Réu fugiu e constituiu família no Brasil. Saade foi localizado por Martín Mestre em Belo Horizonte em 2019. Ele tinha forjado documentos e casado em Minas Gerais. Após a prisão, a Colômbia pediu a extradição do estrangeiro. Porém, ele conseguiu sair da cadeia em 2020 após conseguir um alvará de soltura.

Extradição adiada por quase três anos. O primeiro pedido de extradição do colombiano foi julgado em setembro de 2020. Na ocasião, devido à ausência de um dos ministros, um empate indeferiu o pedido. Uma nova ação foi julgada e aprovada pela Segunda Turma em abril de 2023.

Nova prisão. Após o aceite da extradição, Jaime, considerado foragido, foi encontrado pela Polícia Federal e preso novamente em uma pousada de Marechal Deodoro (AL) em 2023.

Deixe seu comentário

Só para assinantes