Conteúdo publicado há 29 dias

Vídeo mostra resgate de refém israelense após oito meses em poder do Hamas

A Polícia de Israel divulgou neste sábado (15) um vídeo que mostra o momento do resgate de uma jovem sequestrada pelo Hamas, na Faixa de Gaza.

O que aconteceu

Noa Argamani, 26, foi resgatada após passar 245 dias como refém do grupo. Ela foi sequestrada durante um festival de música, no dia do ataque do Hamas a Israel, em 7 de outubro de 2023, e só foi encontrada no início de junho.

Vídeo mostra o momento em que as forças israelenses invadem o local onde ela estava, em Nuserait. "Está tudo bem, Noa, vamos levar você para casa", diz um policial. "Você está segura, estamos levando você para o veículo. Somos da Yaman (grupo de elite do combate ao terrorismo) e Shabak (inteligência israelense), estamos levando vocês para casa, estamos muito felizes por vocês estarem aqui e estamos orgulhosos de vocês. A jovem responde: "Estou muito feliz, mas muito assustada com a viagem". "Está tudo bem, você está conosco", responde um policial.

Além da jovem, Almog Meir Jan, Shlomi Ziv e Andrey Kozlov também foram levados de volta a Israel. Eles também haviam sido sequestrados no festival. Os reféns estavam na mesma região bombardeada recentemente por Israel, em dois pontos diferentes de Nuseirat, onde dezenas morreram em um bombardeio a uma escola que era usada como abrigo.

A jovem também aparece em uma foto bebendo refrigerante após o resgate ao lado do pai, Yaakov. Ela ainda encontrou com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu: "Nem por um minuto deixamos de pensar em você e não desistimos", disse o premiê.

Israel prometeu destruir o Hamas após o ataque sem precedentes do grupo em outubro, que resultou na morte de 1.194 pessoas, a maioria civis. Os militantes também fizeram 251 reféns. Destes, 116 permanecem em Gaza, embora o exército afirme que 41 estão mortos.

A ofensiva retaliatória de Israel matou pelo menos 37.296 pessoas em Gaza, também a maioria civis, de acordo com o ministério da saúde no território governado pelo Hamas. O exército de Israel disse no domingo (16) que iria fazer uma pausa diária nos combates em torno de uma rota ao sul de Gaza para facilitar a entrega de ajuda. Há meses agências da ONU e ONGs alertam para o risco de fome no território palestino sitiado.

Deixe seu comentário

Só para assinantes