PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Após prisão na Rússia, ativista brasileira do Greenpeace chega ao Brasil

Do UOL, em São Paulo

28/12/2013 10h35Atualizada em 28/12/2013 12h18

Após ficar cem dias presa na Rússia, a bióloga brasileira Ana Paula Maciel, integrante do Greenpeace Internacional, desembarcou no Brasil neste sábado (28). Vindo de São Petersburgo, o voo dela fez escala em São Paulo e chegou no fim da manhã em Porto Alegre, onde passará o Réveillon com a família.

Ao lado de outros ativistas do grupo, ela foi detida em setembro pelas autoridades russas ao participar de um protesto contra a exploração de petróleo no Ártico.

Depois de anistiados, Ana Paula e os demais 25 integrantes do grupo de nacionalidade não russa dependiam de uma autorização do Serviço Federal de Imigração para deixar o país, já que foram tirados de águas internacionais e levados presos pela Guarda Costeira.

Antes de embarcar para o Brasil, Ana Paula disse que deixava a Rússia da mesma maneira como entrou, de cabeça erguida e com a consciência limpa.

“Temos a convicção de que fizemos o bem para proteger o planeta para esta e as futuras gerações. É uma vergonha um país permitir que tamanha injustiça tenha acontecido para defender os interesses das empresas de petróleo”, declarou.

Ela também disse que estava ansiosa por retornar ao Brasil, mas não poderia falar em final feliz enquanto o Ártico continuar derretendo, a Amazônia se reduzindo, os oceanos se envenenando.

"Eu tomei uma atitude e assumi os riscos por enxergar a urgência de mudar os rumos da humanidade. Há muito trabalho pela frente e precisamos de toda a ajuda possível dos que se importam e acreditam em nosso trabalho”, disse Ana Paula.

(Com Agência Brasil)

Meio Ambiente