PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Conteúdo publicado há
15 dias

John Kerry pede que cientistas liderem luta contra negacionismo climático

Arquivo - Kerry pediu aos cientistas que ajudem a transmitir ao público a necessidade urgente de ações velozes - AFP/Embaixada dos Estados Unidos em Seul
Arquivo - Kerry pediu aos cientistas que ajudem a transmitir ao público a necessidade urgente de ações velozes Imagem: AFP/Embaixada dos Estados Unidos em Seul

Laurie Goering

Em Londres

27/04/2021 12h37

Uma desconfiança generalizada da ciência e disputas sobre fatos básicos, aliados à polarização política crescente e a campanhas de desinformação, estão minando os esforços globais de combate à mudança climática, alertou o enviado climático dos Estados Unidos, John Kerry.

Durante uma cúpula virtual organizada pela Fundação Nobel e por grandes academias de ciência nesta semana, Kerry disse que estimular um entendimento e um assentimento públicos maiores sobre os desafios "existenciais" do mundo é crucial para abordá-los.

"Temos que estabelecer uma linha de base de verdade, ou não conseguimos criar consenso em uma democracia", disse.

O "negacionismo financiado" por grandes poluidores a respeito da mudança climática e o descaso político de alguns governos a alertas científicos sobre os riscos da covid-19 estão "nos custando uma enormidade", acrescentou.

Kerry disse que alcançar as metas climáticas rápido o suficiente equivale a "um voo à Lua com esteroides", e pediu aos cientistas que ajudem a transmitir ao público a necessidade urgente de ações velozes.

"Os cientistas querem evitar o desgaste, mas estamos em uma guerra contra o negacionismo", disse. "Acho que temos que contra-atacar, e acho que os cientistas têm que estar na frente desta luta."

Apesar da pandemia de covid-19, as emissões globais do uso de combustíveis fósseis mantêm uma trajetória de alta. Os cientistas dizem que elas precisam cair pela metade em meros nove anos para se evitar os piores impactos da mudança climática.

Meio Ambiente