PUBLICIDADE
Topo

Política

Prefeita cassada fica proibida de entrar na Prefeitura de Magé (RJ)

Do UOL Notícias

Em São Paulo

03/08/2011 20h03

A prefeita cassada de Magé Núbia Cozzolino (PMDB) e um servidor municipal foram conduzidos à 65ª DP (Magé), nesta quarta-feira (3), para prestar esclarecimentos sobre denúncias de que ela estaria manipulando o sistema da folha de pagamentos da cidade para apagar informações sobre "funcionários-fantasmas”.

Núbia e o servidor estavam, esta manhã, na sala onde se elabora a folha de pagamentos dos funcionários municipais, na sede da prefeitura, no momento em que oficiais de Justiça cumpriam mandados de busca e apreensão requeridos pela Promotoria de Justiça Criminal do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro.

A informação da exclusão foi recebida ontem pelo promotor Sergio Ricardo Fernandes Fonseca. Segundo o denunciante, após a derrota do candidato apoiado por ela na eleição suplementar do último domingo (1º), Núbia foi à prefeitura na noite de segunda-feira. Lá, teria feito alterações não-autorizadas e inserção de dados falsos no sistema de informações sobre os pagamentos dos servidores. A intenção dos supostos crimes seria burlar a auditoria anunciada pelo prefeito eleito Nestor de Moraes Vidal Neto.

Diante das informações recebidas, o promotor requereu imediatamente a medida de busca e apreensão de computadores e documentos na sede da prefeitura. A medida foi deferida pelo juiz Flavio Quaresma. Ao cumprir os mandados, os oficiais encontraram Núbia e o servidor, que foram levados à delegacia. Foram apreendidos seis computadores que estavam trancados em um armário na sala da tesouraria.

Para evitar qualquer tentativa de evitar possível responsabilização cível e criminal por parte de Núbia, o promotor requereu na tarde desta quarta, a medida cautelar de afastamento da ex-prefeita de suas funções como servidora do Estado (atualmente cedida à Prefeitura de Magé) e a proibição da entrada dela na prefeitura. O pedido também foi acolhido pela Justiça. O prefeito Anderson Cozzolino já foi informado da decisão judicial.

Política