PUBLICIDADE
Topo

Política

Como manter o diálogo com quem não admite compreensão contrária?, diz Marco Aurélio sobre Barbosa

Camila Campanerut

Do UOL, em Brasília

07/11/2012 18h04

A divergência entre os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio e Joaquim Barbosa, iniciada durante a sessão desta quarta-feira (7), continuou durante o intervalo.

"Como manter o diálogo com alguém que não admite uma compreensão contrária formada?", disse Marco Aurélio aos jornalistas sobre o colega, relator do processo do mensalão.

"É muito difícil. Divergiu, ele [Barbosa] retruca. Como se o voto dele estivesse sendo julgado. Não está. Nós aqui não disputamos nada, nem superioridade intelectual. Porque nós nos completamos mutuamente. [Este] é o objetivo do colegiado"

Marco Aurélio dá bronca por Barbosa debochar em julgamento

O presidente da Corte, ministro Ayres Britto, tentou amenizar a situação. "Você vê que tudo reflui. Aumenta a temperatura e logo em seguida abaixa. É isso que interessa. Eu me fixo mais na baixa".

Durante a sessão, Aurélio discutiu de maneira áspera com o relator, após se irritar com um comentário paralelo de Barbosa. ”Vossa Excelência cuide das palavras quando eu estiver votando”, disse o ministro. Barbosa retrucou: "eu sei usar o vernáculo, ministro". Mello novamente respondeu: "não sorria não que a coisa é muito séria, ministro [Barbosa]. O deboche não calha".

"Eu sorrio quando assim o desejar", disse Barbosa. "Vamos dar prosseguimento ao julgamento, que é isso que a nação espera de nós", acrescentou o relator.

"A visão totalitária não cabe em um colegiado desse nível", criticou Marco Aurélio. “Não suponha que todos nesse tribunal sejam salafrários e vossa excelência seja vestal”, acrescentou o ministro.
 

Política