Topo

Ex-funcionária de Marcos Valério é condenada a mais de 12 anos no julgamento do mensalão

Do UOL, em São Paulo

2012-11-12T17:23:27

2012-11-12T17:38:39

12/11/2012 17h23Atualizada em 12/11/2012 17h38

Simone Vasconcelos, ex-funcionária do publicitário Marcos Valério na agência SMP&B, foi condenada, no julgamento do mensalão, a 12 anos, sete meses e 20 dias pelos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e evasão de divisas. Ela também foi condenada a um ano e oito meses por formação de quadrilha, mas a pena prescreveu. Ao todo, a ré também foi multada em R$ 374 mil.

Pelo Código Penal, os crimes com penas menores que dois anos prescrevem quatro anos após o oferecimento da denúncia. Como os réus do mensalão foram denunciados pela Procuradoria Geral da República (PGR) em 2007, a pena prescreveu.

Penas de Simone Vasconcelos

Formação de quadrilha1 ano e 8 meses (PRESCRITA)
Corrupção ativa dos parlamentares4 anos e 2 meses de prisão + 110 dias-multa de cinco salários mínimos cada
Lavagem de dinheiro5 anos de prisão + R$ 110 dias-multa de cinco salários mínimos cada
Evasão de divisas3 anos, 5 meses e 20 dias de prisão + 68 dias-multa de cinco salários mínimos cada

Hoje, no início da sessão, os ministros condenaram Simone a três anos, cinco meses e 20 dias, além de multa de R$ 88,4 mil de prisão por evasão de divisas e a cinco anos de prisão por lavagem de dinheiro, com multa de R$ 143 mil.

Na semana, pela condenação por corrupção ativa dos parlamentares, a ré recebeu pena de quatro anos e dois meses de reclusão e multa de R$ 143 mil.  

Núcleo publicitário

Os ministros do STF também condenaram o publicitário Cristiano Paz,  ex-sócio de Marcos Valério, a 25 anos, onze meses e 20 dias de prisão pelos crimes de formação de quadrilha, corrupção ativa, peculato e lavagem de dinheiro. Além disso, o condenado terá de pagar uma multa de aproximadamente R$ 2,5 milhões.

Já o advogado de Valério Rogério Tolentino foi condenado a pelo menos cinco anos e três meses de prisão pelos crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa. Ainda falta contabilizar a pena para lavagem de dinheiro.

pena para Ramon Hollerbach, ex-sócio do publicitário Marcos Valério, condenado por evasão de divisas, corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, foi de mais de 29 anos de prisão.

Frases do julgamento do mensalão
Frases do julgamento do mensalão
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','63909', '')

Bate-boca

Após o relator iniciar o cálculo da pena para Dirceu, o ministro-revisor do caso, Ricardo Lewandowski, reagiu -- na semana passada, Barbosa havia dito que votaria, após o núcleo publicitário, o núcleo financeiro, relativo aos réus do banco Rural. “Não estou entendendo porque estão iniciando o núcleo politico", disse Lewandowski, que alegou que o advogado de José Dirceu nem está presente no plenário para defendê-lo. 

“Vossa excelência está surpreendendo a corte a cada momento. Toda hora, vossa excelência traz uma surpresa”, disse Lewandowski ao ministro Joaquim Barbosa. “Vossa excelência não tem voto”, respondeu Barbosa, dizendo que Lewandowski estava tentando "obstruir" o julgamento.

"Não estou surpreendendo", respondeu Barbosa.  "A surpresa é a lentidão [na definição das penas]", emendou o ministro.

"Vossa excelência se explique", rebateu Lewandowski. "Eu vim preparado para o voto do núcleo financeiro. Não é possível isso. Eu quero ser informado como revisor. Eu exijo um retratação, senão eu me retiro do plenário", disse, antes de sair do plenário.

O presidente da Corte, ministro Ayres Britto, interveio e disse que o relator tem liberdade para fazer seu voto da maneira como preferir.

"Por que escolhi começar pelo núcleo político? Porque é pequeno. São apenas seis penas", afirmou Barbosa após intervenção de Marco Aurélio, que disse estar preparado para votar em qualquer ordem.

Entenda o dia a dia do julgamento

PENAS DOS CONDENADOS PELO MENSALÃO

QuemCrimesPenas

Marcos Valério
Formação de quadrilha, corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e evasão de divisas40 anos, 1 mês e 6 dias de prisão + multa de R$ 2,8 milhões. LEIA MAIS

Ramon Hollerbach
Evasão de divisas, corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e formação de quadriha29 anos, 7 meses e 20 dias de prisão + multa de R$ 2,8 milhões. LEIA MAIS

Cristiano Paz
Formação de quadrilha, corrupção ativa, peculato e lavagem de dinheiro25 anos, 11 meses e 20 dias de prisão + multa de R$ 2,5 milhões. LEIA MAIS

 

Mais Política