Topo

PSDB coleta assinaturas para criar CPI da MP dos Portos

O deputado Carlos Sampaio (SP), líder do PSDB na Câmara, atuou fortemente para obstruir a votação da MP dos Portos - Laycer Tomaz/Câmara dos Deputados
O deputado Carlos Sampaio (SP), líder do PSDB na Câmara, atuou fortemente para obstruir a votação da MP dos Portos Imagem: Laycer Tomaz/Câmara dos Deputados

Camila Campanerut

Do UOL, em Brasília

15/05/2013 20h08

O PSDB já começou a coletar as assinaturas para a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as denúncias de que a MP (Medida Provisória) dos Portos estaria beneficiando alguns setores em detrimento de outros e que parlamentares estariam sendo beneficiados com a aprovação da matéria.

De acordo com o líder do partido, deputado Carlos Sampaio (SP), já foram coletadas, pelo menos, 45 assinaturas das 171 necessárias para protocolar o pedido. A ação é consequência natural da representação apresentada pelo partido à Corregedoria da Câmara na última segunda-feira (13). 
 
 

A representação do PSDB pede que sejam apuradas as denúncias do deputado Anthony GarotInho (PR-RJ), Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força, durante os dois dias de votação.

 

“Eduardo Cunha dizendo que a proposta como está favorece determinadas empresas. O Garotinho dizendo que a emenda de Cunha é que favorece. O que é importante é que se aprova uma emenda que está materializando uma falcatrua denunciada por eles [que são da base governista]. O PDT [do Paulinho], que tem ministro no governo, disse que a MP tem 'sacanagem', 'malandragem' e 'fraude'. Isso tudo [quem diz] é a base do governo que apresentou a MP, como o PSDB pode votar numa MP desta?”, justificou Sampaio.

 

“E a MP também está se valendo [para ser aprovada] da liberação de emendas. Não é uma compra indireta de votos?”, completou o parlamentar tucano.

 

Quando questionado se não seria ingenuidade destacar o fato, uma vez que as negociações entre Executivo e Legislativo por liberação de emendas parlamentares é praxe no Congresso quando há votações em jogo, o deputado desconversa. “Se estão usando deste expediente, é porque a MP não tem força própria para ser aprovada, porque alguma coisa está sendo ocultada”, avaliou.

 

Apesar de se esforçar para não aprovar a MP, Sampaio ressalta que o conteúdo dela é muito importante para o país. “O PSDB defende desde 1996 o plano de desestatização dos portos. Até a semana, o PSDB ia votar sem obstrução, mas com estas denúncias não é possível.”  (Com Agência Câmara)

 

"O que a gente tem claro hoje é que a aprovação dessa MP vai implicar claramente na materialização de uma falcatrua denunciada por integrantes do governo, que nós temos que investigar. E o caminho para a investigação é a CPI."
 
Autor da emenda aglutinativa apresentada à medida provisória apontada como suspeita pelo deputado Anthony Garotinho (PR-RJ), o líder do PMDB, deputado Eduardo Cunha (RJ), foi taxativo. Ele disse que não vê necessidade para isso, mas não vai se opor à iniciativa. "Eu acho que, se eles apresentarem essa CPI, eu não terei o menor problema em assiná-la. Se eles quiserem fazer, para não pairarem dúvidas, pode trazer que eu assino sem o menor problema."
 
As lideranças do governo não quiseram se manifestar sobre o pedido de CPI. (Com Agência Câmara)
 

Mais Política