Topo

Atendidos pelo Bolsa Família evitam falar sobre origem de boato que apontava fim do programa

Aliny Gama

Do UOL, em Maceió

21/05/2013 18h28

Beneficiários do Bolsa Família que sacaram o dinheiro no último fim de semana temem ter seus benefícios suspensos ou cortados por terem sacado-os fora do cronograma. No final de semana, boatos sobre o fim do programa levaram pessoas atendidas a correr até agências da CEF (Caixa Econômica Federal) e lotéricas para retirar o benefício. A falsa notícia causou problemas em 12 Estados, nove do Nordeste, dois do Norte e um do Sudeste.

Algumas famílias entrevistadas pelo UOL afirmaram que ainda não acreditam que o programa vai continuar, apesar da negativa do MDS (Desenvolvimento Social e Combate à Fome).

Muitas não querem nem falar o nome para não correr o risco de ficarem “marcadas” e deixarem de receber o Bolsa Família, apesar de se enquadrarem no perfil criado pelo governo para os beneficiários.

“Eu não vou saber dizer de onde partiu porque foi uma vizinha que já me avisou e foi avisada pelo marido, que estava na casa da mãe dele e soube por outra pessoa, que o sábado era o último dia para tirar o dinheiro senão íamos perder o Bolsa família”, disse Regina Silva, moradora de Maceió.

Regina contou que ao saber da falsa informação, achando que era verdade, avisou as duas conhecidas e todas saíram para uma casa lotérica, no bairro Jacintinho, periferia de da capital alagoana.

“Foi um corre-corre, mas a gente conseguiu chegar à lotérica, ainda no almoço, mas a fila estava enorme e retiramos o dinheiro a tarde. Foi um alívio. Já até comprei comida e paguei uma compra de um caderno que tinha feito para meu filho que estava em aberto”, disse a colega de Regina, Neuza Patrícia da Silva.

Boca a boca

Os beneficiários também relataram que estão tão temerosos depois que souberam que a PF (Polícia Federal) investiga de onde partiu o boato e acreditam que podem ser intimadas para dizer quem passou a falsa informação.

“Não quero me envolver com isso e peço que não coloque meu nome porque eu já soube dessa história que teríamos de tirar o dinheiro no sábado por uma pessoa na feira, que já foi outra que disse. Se me chamar eu não vou saber dizer quem foi, mas tenha certeza que corri para tirar o dinheiro porque dependo dele para viver. É com ele que mantenho a casa e sustento meu filho, de oito anos”, disse uma moradora de Picos (308 km de Teresina), que sacou perto do meio-dia de sábado (18) o dinheiro do Bolsa Família.

O UOL entrevistou outra pessoa no Piauí, moradora de Teresina, que também pediu para que não fosse publicado o nome temendo perder o benefício. “Sou escovista, trabalhava num salão de beleza e ganhava por produção. O salão fechou e dependo apenas do Bolsa Família para comprar alimento e o que meu filho precisa. O dinheiro não dá para tudo, mas se eu perder vai fazer muita falta”, disse.

No Rio Grande do Norte, em Natal, duas entrevistadas pelo UOL pediram para não ter os nomes publicados porque “não querem se envolver com caso de polícia” para explicarem quem avisou-as porque as informações foram passadas no boca a boca.

“Eu soube dessa história quando estava na casa de minha sogra, que um vizinho passou dizendo, que já soube por outra pessoa. Sou pobre, mas também nunca me envolvi em caso com a polícia e não será desta vez porque eu fui avisada, fui vítima de um boato. Quem depende desse dinheiro logicamente ia ficar preocupada e correr para tentar tirar o dinheiro”, contou a mulher, que mora na Ribeira, em Natal.

Ela avisou a irmã, que mora na Candelária, e a família saiu “uns telefonando para os outros”.

“Eu não consegui tirar no sábado, mas consegui no domingo numa agência da Caixa. Tinha muita gente na lotérica que fui e a confusão estava grande, muita gente furando fila e a tardinha avisaram que o dinheiro tinha acabado, mas que quem quisesse esperar alguém que fosse fazer algum depósito poderia arriscar. Resolvi ir embora porque as crianças estavam com fome e sede.”

O boca a boca também disseminou o boato de que o Bolsa Família iria acabar no Maranhão.

De acordo com o portal "A Tarde", o Maranhão é um dos Estados que possui mais beneficiários do Bolsa Família e devido a falta de dinheiro por conta da alta demanda dos saques beneficiários que não conseguiram sacar o dinheiro ficaram revoltados e depredaram terminais de autoatendimento.

Beneficiários do município de Mâncio Lima (617 km de Rio Branco), só se tranquilizaram que o Bolsa Família não seria extinto depois que a secretária de Assistência Social do município, Ângela Maria Valente de Figueiredo, fixou na única casa lotérica da cidade o comunicado do MDS.

Segundo o "A Tarde", o município fica na fronteira com o Peru e as transmissões das emissoras de televisão só chegam por meio de antenas parabólicas.

Mais Política