Topo

Tumulto em protesto na Câmara cancela sessão de comissão

Manifestantes da CUT (Central Única dos Trabalhadores) protestam na Câmara dos Deputados - Laycer Tomaz/Câmara dos Deputados
Manifestantes da CUT (Central Única dos Trabalhadores) protestam na Câmara dos Deputados Imagem: Laycer Tomaz/Câmara dos Deputados

Do UOL, em Brasília

03/09/2013 15h16Atualizada em 03/09/2013 17h42

Um tumulto causado por manifestantes cancelou a reunião desta terça-feira (3) da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados. O plenário 1, sala onde são realizadas as reuniões da comissão, havia sido tomado por manifestantes que vieram protestar contra o projeto que regulamenta o trabalho terceirizado no Brasil (PL 4330/04).

Às 15h, o protesto já havia terminado.

Apesar de a proposta não estar na pauta desta terça, os manifestantes entenderam que ele poderia ser votado a qualquer momento, atendendo apenas aos interesses de empresários. Um manifestante chegou a ser contido pela segurança da Câmara.

Segundo a CSP-Conlutas (Central Sindical e Popular), a Polícia Legislativa levou preso um dos diretores do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Renato Junior de Almeida, que foi liberado em seguida.

O presidente da CCJ, deputado Décio Lima (PT-SC), disse que não colocará a matéria em votação, uma vez que não é de interesse da população brasileira neste momento.

Os manifestantes, em sua maioria representantes de sindicatos de bancários e comerciários, começaram a se dispersar depois que a reunião foi cancelada. O anúncio do cancelamento foi feito ao microfone pelo presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Vagner Freitas de Moraes, que considerou o cancelamento da reunião da CCJ uma vitória. Ele ressaltou, no entanto, que todas as pessoas presentes na comissão nesta terça-feira eram trabalhadores.

No último dia 20 de agosto, o plenário da Câmara chegou a ser invadido por manifestantes.

(Com Agência Câmara)

Mais Política