PUBLICIDADE
Topo

Roberto Jefferson chega ao presídio Ary Franco, no Rio

Do UOL, em Brasília

24/02/2014 16h21Atualizada em 24/02/2014 21h42

Condenado no julgamento do mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal), o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ) foi preso no início da tarde desta segunda-feira (24) e chegou por volta das 16h15 ao presídio Ary Franco, em Água Santa, na zona norte do Rio.

Mais cedo, ele passou por exames no IML (Instituto Médico Legal) no Rio. 

Em seguida, segundo a Segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro, Jefferson será encaminhado à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Dr. Hamilton Agostinho Vieira de Castro, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, onde passará por uma avaliação médica. Depois do exame, a secretaria ainda decidirá onde ele cumprirá a pena em definitivo.

Ele foi preso em frente à sua casa na cidade de Levy Gasparian, no interior do Rio de Janeiro.

O ex-deputado começará a cumprir a sua pena de sete anos 14 dias por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, inicialmente no regime semiaberto em algum presídio fluminense.

Cronologia do mensalão

  • Nelson Jr/STF

    Clique na imagem e relembre os principais fatos do julgamento no STF

Por conta dos seus problemas de saúde, decorrentes de um câncer de pâncreas, a defesa de Jefferson havia pedido que ele ficasse cumprindo a pena em prisão domiciliar.

No entanto, na sexta, Barbosa negou o pedido por entender que o sistema penitenciário tem como oferecer condições para ele seguir o tratamento.

O ex-deputado deverá cumprir a pena no regime semiaberto. Pela lei, penas de 4 a 8 anos são cumpridas no semiaberto, em que o preso pode, mediante autorização judicial, sair durante o dia para trabalhar.

"Acostumado a sofrer"

Mais cedo, ele havia usado a sua conta no microblog Twitter para dizer que a prisão é “o meu destino”, acrescentando que, por ser botafoguense, está “acostumado a sofrer”, além de entender que “Deus só dá carga para quem pode carregar”.

“Estou em paz, a prisão é o meu destino e vou cumprir. Sou botafoguense, estou acostumado a sofrer”, escreveu. “Deus só dá carga para quem pode carregar. Sou 'harleiro' [referência a quem gosta das motos Harley Davidson] e botafoguense, estou acostumado a sofrer.”

Neste domingo, o ex-deputado saiu às 8h de casa para passear de moto e quando voltou, por volta das 11h30, disse que estava "apenas curtindo os últimos momentos de sua liberdade".

A ordem de prisão foi dada pelo presidente do STF e relator do caso, ministro Joaquim Barbosa, na sexta-feira (21), mas o mandado de prisão só foi enviado para a Polícia Federal nesta segunda. Enquanto isso, Jefferson aguardava em sua casa.

Delator do mensalão

No dia 6 de junho de 2005, o jornal ''Folha de S.Paulo'' publicou uma entrevista com Jefferson na qual ele revelava a existência do pagamento de propina para parlamentares (veja abaixo).

Segundo o então presidente do PTB, congressistas aliados recebiam o que chamou de um "mensalão" de R$ 30 mil do então tesoureiro do PT, Delúbio Soares.

O esquema teria sido realizado entre 2003 e 2004, segundo relatório final da CPI dos Correios, e durado até o início de 2005.

Jefferson afirmou ainda que falou do esquema para o presidente Lula, mas o ex-presidente sempre negou ter conhecimento do esquema.

OUÇA TRECHO DA ENTREVISTA À FOLHA DE S.PAULO EM QUE ROBERTO JEFFERSON MENCIONOU A EXISTÊNCIA DO MENSALÃO PELA PRIMEIRA VEZ

Política