PUBLICIDADE
Topo

Dilma abre desfile de 7 de Setembro sob aplausos e vaias

Fernanda Calgaro

Do UOL, em Brasília

07/09/2014 09h56Atualizada em 07/09/2014 13h12

A presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, abriu na manhã deste domingo (7) o desfile cívico de 7 de Setembro na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Aplaudida por parte do público, a petista chegou às 9h no Rolls-Royce da Presidência e foi recebida pelo vice-presidente, Michel Temer (PMDB), pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, e pelo governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT). Uma parte pequena dos presentes também vaiou a presidente. No entanto, não houve maiores manifestações nem de apoio nem de protesto contra a presidente.

Os presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), não foram vistos. Eles foram citados, segundo a revista "Veja", como alguns dos políticos envolvidos em um esquema de corrupção da Petrobras, segundo o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa.

Também estiveram presentes diversos representantes do Executivo, como os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça), Henrique Paim (Educação) e Luiz Alberto Figueiredo (Relações Exteriores).

O novo presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Ricardo Lewandowski, também não foi visto na tribuna de autoridades.

Depois do desfile, Dilma irá receber no Palácio da Alvorada "representantes de instituições da juventude" para tratar de reforma política. Está prevista uma coletiva de imprensa depois dessa agenda.

Desfile

Neste ano, participam da parada um total de 2.200 militares do Exército, Marinha e Aeronáutica, incluindo tropas a pé e motorizadas. 

Entre as atrações estão exibições da Esquadrilha da Fumaça, com duas passagens pela Esplanada em aviões A-29, os Supertucanos, e da Pirâmide Humana do Batalhão de Polícia do Exército de Brasília, composta por 40 homens em cima de uma moto.

A expectativa é que 30 mil pessoas acompanhem o desfile, de acordo com o Ministério da Defesa. Para acomodar o público, foram instaladas arquibancadas com capacidade para 22 mil pessoas sentadas ao longo do percurso de dois quilômetros na Esplanada dos Ministérios.

Política