Alan Marques/Folhapress

Processo de impeachment

Dilma diz estar "convicta" de que terá votos para reverter impeachment

Leandro Prazeres

Do UOL, em Brasília

A presidente Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira (23) estar "convicta" de que terá os votos necessários na Câmara dos Deputados para barrar o processo de impeachment que tramita contra ela.

"Eu tenho convicção de que teremos os votos necessários", disse a presidente durante uma visita a obras de uma estação de operação de satélite, em Brasília.

Dilma é alvo de um processo de impeachment na Câmara. Quando o processo chegar ao Plenário da Câmara, o governo precisará ter pelo menos 171 votos para barrá-lo.

A adesão do PMDB ao bloco contra o impeachment é vista como primordial para a estratégia do Planalto.

Questionada sobre a permanência do PMDB no governo, Dilma evitou entrar em polêmicas. Nos últimos dias, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) manteve conversas com líderes da oposição, como o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

"Nós todos estamos bastante interessados na questão da permanência do PMDB no governo. Tenho muita certeza de que nossos ministros estão comprometidos com a sua permanência no governo", disse a presidente.

Sobre as conversas de Temer com líderes da oposição, Dilma também evitou polêmicas. "Tem um certo tipo de suposição, e eu diria até de avaliações e que são não só precipitadas, como não são corretas. Queremos muito que o PMDB permaneça", afirmou.

A presidente afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não está tratando das articulações para manter o PMDB na base. "O presidente Lula não está tratando disso", disse.

Sobre Lula, que na semana passada teve sua nomeação como ministro-chefe da Casa Civil suspensa por decisões judiciais, a presidente Dilma afirmou que ainda o vê como capaz de atuar como ministro. "Não só acredito, como estou lutando para tal", afirmou.

A presidente ainda comentou a decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki da última terça-feira (23) que mandou o juiz federal Sérgio Moro devolver ao Supremo os inquéritos e investigações que tramitam contra Lula. Na semana passada, o ministro Gilmar Mendes havia deferido uma liminar ordenando o envio dos processos contra Lula para a 13ª Vara da Justiça Federal do Paraná, onde Moro atua. 

"Considero a decisão do ministro Teori importante porque ela estabelece o primado da lei nas relações dos órgãos que investigam com o presidente Lula", afirmou a presidente. 

Impeachment passo a passo

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos