Processo de impeachment

Renan diz que Senado não terá recesso para agilizar processo de impeachment

Ricardo Marchesan

Do UOL, em Brasília

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou que não haverá recesso de 15 dias na casa em julho. O objetivo é agilizar o andamento do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff (PT).

O presidente disse que a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) não será votada até 17 de julho. Sem essa votação, o recesso não pode acontecer.

"Não havendo a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias, nós não vamos ter esse recesso de 15 dias. E é bom, porque aí nós vamos poder agilizar no tempo aí a atividade processante do Senado Federal", disse.

Renan também falou que vai "compatibilizar" as sessões da Casa. "Eu vou, como combinei anteriormente, aguardar o contato do novo presidente da República para que nós possamos compatibilizar as sessões do Congresso Nacional, as suas convocações, com essa decisão que é fundamental para o Brasil."

Renan Calheiros disse que vai conversar com Temer para definir a pauta de votação do Senado. "Eu vou visitar os líderes e vou conversar com o novo governo para que nós possamos atualizar aquela pauta de prioridades", disse.

O presidente do Senado comentou também a longa sessão de votação, que durou mais de 20 horas. "Esperou que nós pudéssemos deliberar durante o Jornal Nacional, acabou vendo que nós tivemos que deliberar durante o Bom Dia Brasil", disse.
 

Você aguentaria 20 horas sem celular só ouvindo discursos? Os senadores não

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos